Eucalipto torna-se a principal espécie da nossa floresta

Dados preliminares do último inventário da floresta nacional provam que a área do eucalipto cresceu 16% desde 1995 e tornou-se maior do que a ocupada pelo pinheiro-bravo.

O “Público” escreve hoje que “o Inventário Florestal Nacional de 2010 reconhece, pela primeira vez, que o eucalipto é a espécie que mais área ocupa na floresta portuguesa, encerrando uma era em que o pinheiro era a árvore dominante do país”. Assolado por mais de uma década de incêndios, por pragas como a do nemátodo e da falta de gestão, o pinhal nacional está em perda permanente desde meados dos anos 90 – entre 1995 e 2010 a área ocupada pelos pinheiros bravos reduziu-se 13%. Em contrapartida, os eucaliptais cresceram no mesmo período 16% e, actualmente, ocupam 750 mil hectares do território nacional, contra cerca de 600 mil do pinheiro bravo”.

O ex-diretor-geral das Florestas, João Soares, afirma não estar surpreendido com os números uma vez que o eucalipto “é a única árvore que dá alguma rendibilidade aos propriatários”. Segundo o jornal, a título de exemplo, “num ecossistema com níveis de precipitação superiores a 800 milímetros por ano, um hectare de eucalipto pode render ao fim de dez anos quatro mil euros; no pinhal, são precisos 35 anos até que se possa aproveitar a madeira de qualidade”.

Segundo João Soares, o crescimento do eucalipto até se transformar na espécie dominante no país “corresponde à resposta dos produtores florestais às condições económicas com que se deparam”.

DN