Incêndios ameaçam produção de mel na serra da Lousã

O aumento das áreas de eucaliptal e os incêndios estão a ter um efeito devastador na produção de mel certificado na Serra da Lousã. Do ano passado para este ano baixou de 27 toneladas para 11.

A Cooperativa Lousamel está preocupada com o rumo que as coisas estão a tomar.

A redução das manchas de urze, entre outras espécies melíferas, provocada pelos fogos florestais é apenas um dos factores que está a ameaçar a produção de mel na serra da Lousã. As alterações climáticas também têm sido fonte de problemas, levando à desregulação da atividade das colmeias

O aumento das áreas de eucalipto é o outro principal fator de quebra da produção. Segundo António Carvalho, da Lousamel, nos últimos anos, na sequência da liberalização do seu cultivo tem-se verificado a «plantação massiva» de eucaliptos.

Como resultado as abelhas «cada vez têm menos onde ir buscar néctar», alerta o representante daquela cooperativa.

A região do mel DOP Serra da Lousã abrange os municípios de Arganil, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Góis, Miranda do Corvo, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penela e Vila Nova de Poiares, nos distritos de Coimbra e Leiria.

Fonte: Greensavers