CE admite proibir alguns pesticidas devido a impacto sobre as abelhas

A Comissão Europeia pode propor a interdição de usar determinados pesticidas, após a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA) revelar conclusões «inquietantes» sobre o seu impacto nas abelhas.

«A EFSA apresentou conclusões inquietantes sobre o impacto de três tipos de produtos sobre o néctar e o pólen», explicou Frédéric Vincent, porta-voz do comissário europeu da Saúde e Defesa do Consumidor, Tonio Borg, adiantando que o parecer foi pedido pela Comissão.

«Esta semana» vai ser enviada uma carta ao grupo alemão Bayer e ao suíço Syngenta, que produzem pesticidas com os três neonicotinóides em causa, nomeadamente, Clotianidina, Tiametoxam e Imidaclopride e o Cruiser OSR, podendo as empresas responder até ao dia 25 de Janeiro.

O assunto vai ser discutido na reunião do comité permanente da União Europeia (UE) responsável por estas questões, no dia 31 de Janeiro. «A Comissão tomará as medidas que se impõem», concluiu o porta-voz.

Alguns Estados-membros tomaram já medidas para suspender, total ou parcialmente, a utilização destes pesticidas, entre os quais a França, Itália, Alemanha, Holanda e Eslovénia.

Os estudos científicos realizados nos últimos anos permitiram concluir que os pesticidas «sistémicos» ou «neonicotinóides» têm um impacto letal sobre as abelhas, desorientando-as ao ponto de não conseguirem regressar às colmeias. Em 15 anos, a mortalidade das abelhas passou de cinco para 30 por cento.

Fonte: Lusa (via Confragi)