Míldio da cebola

(Peronospora destructor)

cebola

É a mais grave doença da cebola.

É frequente atacar as jovens plantas ainda no viveiro (cebolo).

Em consequência da invasão do fungo, o cebolo acaba por tombar e por se perder.

As plantas que não morrem acabam por se desenvolver, mas o fungo pode manter-se nas cebolas colhidas, causando a sua perda durante a conservação.

Como medidas preventivas nesta fase, recomenda-se:

- limpeza das ervas infestantes

- reduzir as adubações azotadas

- evitar a rega por aspersão, regando por alagamento (pelo pé)

- retirar do terreno e queimar todos os restos de cultura de colheita temporã (rama, cebolas danificadas ou podres, cascas).

No caso de aparecerem sintomas da doença, ou em locais onde habitualmente ocorre a doença, pode ser aplicado um fungicida homologado, como, por exemplo: azoxistrobina (ORTIVA, MIRADOR); boscalide+piraclostrobina (SIGNUM); cobre (oxicloreto)+iprovalicarbe (MELODY COBRE); cobre (oxicloreto)+metalaxil-M (RIDOMIL GOLD R WG); dimetomorfe+piraclostrobina (CABRIO DUO); folpete (FOLPAN 80 WDG); mancozebe (DITHANE NEOTEC, MANCOZAN, UNIZEB, NUFOZEBE 75 DG, MANZENE WG, FUNGITANE WP, DITHANE M45, VONDOZEB-D 80 PM, NUFOZEBE 75 DG); mancozebe+metalaxil-M (RIDOMIL GOLD MZ PÉPITE).

Fonte: Estação de Avisos Entre Douro e Minho