Alemão estuda no Algarve árvores com maior resistência ao fogo

Segundo Gerhard Zabel, de 70 anos, dada a frequência de fogos florestais nos países do mediterrâneo, “tinha de se fazer algo para lutar biologicamente contra os fogos e apostar na prevenção” com árvores menos inflamáveis.

O estudo de árvores com maior resistência ao fogo, para reflorestar a serra e evitar a propagação de incêndios florestais, está a ser desenvolvido por um engenheiro agrónomo alemão no concelho de Silves, no Algarve.

“A ideia de estudar árvores que possam retardar a propagação de fogos na floresta surgiu depois de ter visto uma reportagem sobre os grandes incêndios na Grécia”, disse à agência Lusa Gerhard Zabel, o engenheiro alemão que chegou ao Algarve há 31 anos como responsável de um projeto de irrigação para a zona do Arade, no âmbito da colaboração luso-alemã.

O estudo de espécies mais resistentes ao fogo foi iniciado em 2007, na Quinta da Figueirinha, uma propriedade agrícola com 36 hectares, adquirida por este técnico em 1988 no barrocal algarvio, focada inicialmente na agricultura biológica, no turismo rural e na proteção da vegetação natural.

Para ler aqui.