Vitivinícola da Bairrada certifica 5,5 milhões de garrafas e reforça projeto Baga

A Comissão Vitivinícola da Bairrada certificou com selos de garantia mais de 5,5 milhões de garrafas de vinho em 2016, ano em que a produção registou uma ligeira descida devido a «difíceis condições climáticas».

vinhas

Segundo dados provisórios fornecidos pelo presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada (CRVB), Pedro Soares, terão sido até agora certificadas com selos do Instituto da Vinha e do Vinho mais de dois milhões de garrafas da região demarcada e à volta de 1,8 milhões de vinhos regionais.

Os números reais da produção de vinho na Bairrada são, no entanto, superiores, uma vez que há grandes produtores, como a Sogrape, que procuram certificar apenas parte da sua produção.

Aos chamados “vinhos tranquilos” (tintos, brancos, rosés) juntam-se os espumantes com mais de 1,65 milhões de garrafas certificadas, números semelhantes aos de 2015 e que permitem à Bairrada reforçar a liderança na produção de espumantes nacionais.

Em grande destaque está a certificação do projeto Baga, um espumante monovarietal feito a partir da casta Baga, que este ano já certificou 350 mil garrafas.

O projeto, a que aderiram numa primeira fase os enólogos de algumas da principais caves da região (Primavera, Aliança Messias; São João, Quinta do Encontro) e os produtores Luís Pato e António Selas, conseguiu criar um produto diferenciado com novas regras e uma identidade gráfica própria, assente numa casta autóctone da Bairrada.

Segundo Pedro Dias, «o número de referência Baga reforçou-se muito em 2016», tendo garantido ao longo do ano o envolvimento de 14 produtores.

Quase dois terços dos vinhos espumantes nacionais são produzidos na Bairrada, que apresenta uma percentagem de vendas em mercados externos entre os 08 e os 11%, tendo como principais países de destino Angola e Brasil.

A venda dos selos de garantia do Instituto da Vinha e do Vinho tem tido um crescimento «entre 25 a 30%».

O Selo de Garantia do Instituto da Vinha e do Vinho, que no caso da Bairrada é vendido pela CRVB, certifica em cada garrafa a autenticidade e genuinidade do vinho das regiões demarcadas, garantindo a sua origem e o controlo rigoroso efetuado a todas as fases do processo de produção.

A CVRB tem neste momento registados 2.400 produtores de vinhos, que exploram 6.500 hectares de vinhas, mas Pedro Soares garante que o número de pessoas ligadas à cultura do vinho e da vinha na região é «substancialmente» maior.

Para 2017, a CVRB assume como grande objetivo a instalação no edifício da Estação Vitivinícola de um centro de investigação de espumantes, projeto conjunto da Câmara de Anadia, Rota da Bairrada e Comissão Vitivinícola.

Fonte: Lusa