UE reticente sobre uso do Glifosato

A autorização da utilização dos herbicidas à base do glifosato na União Europeia acaba no final do ano, necessitando de ser renovada, para que em 2016 se possa continuar a utilizar.
Vários deputados da ala esquerda do Parlamento Europeu (PE), grupo GUE/NEL, apresentaram uma proposta, no sentido de recusar a prorrogação da autorização.
Na sua reunião de dia 15 de setembro, a Comissão do Ambiente do PE rejeitou esta proposta por 32 votos contra, 25 votos a favor e 10 abstenções

Os apoiantes da proibição do glifosato argumentam que são necessários mais estudos científicos para provar que não existem quaisquer riscos para a saúde pública com a aplicação do produto. Esta proposta surge numa altura em que se espera que a EFSA (European Food Safety Authority) publique um relatório sobre os riscos do glifosato, que vai ser seguramente decisivo para a posição a tomar pela Comissão.

Uma vez que este relatório está atrasado, a Comissão já anunciou que está disposta a prorrogar a autorização por mais seis meses, a partir de 31 de dezembro.
A EFSA, no seu relatório, vai seguramente ter em atenção o relatório da Organização Mundial de Saúde, em que ligava o glifosato ao risco de cancro, opinião que tem sido fortemente contestada pelos fabricantes deste produto.

Ler aqui.