Tecnologia portuguesa reduz até 50% Emissões de Gases de Estufa de Gado

bovino-emissoes-de-gases
Investigadores do CITAB estão a desenvolver técnicas para tratamento de dejetos das vacas. O objetivo? Diminuir as emissões de gases de estufa. Um estudo do WorldWatch Institute aponta o dedo à pecuária: 51% das emissões globais de gases com efeito de estufa (GEE) têm origem na pecuária e produtos derivados.

 

Os dados ganharam mediatismo com o documentário “Cowspiracy”, mas investigadores do Centro de Investigação e de Tecnologias Agroambientais e Biológicos (CITAB) há já algum tempo que trabalham em soluções para diminuir o impacto ambiental causado por estes gases.

A equipa do CITAB  — que integra a Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro — está a desenvolver uma tecnologia que permite “uma redução de até 50% da emissão de GEE, como o dióxido de carbono e o metano, e de quase 100% da emissão de outros gases prejudiciais, como o amoníaco”, esclarece o investigador Henrique Trindade, em nota de imprensa.

O processo passa por tratar chorume (dejetos animais misturados com água) através da separação das frações sólida e líquida, “utilizando aditivos químicos e biológicos que permitem a redução dos gases”. Esta é um técnica “relativamente barata e de viabilidade económica”, assegura Trindade, mas obriga à formação dos produtores para que os resultados sejam otimizados.

Em média, por ano, uma vaca emite 115 quilogramas de gás metano — o que equivale a quase 3.000 quilos de dióxido de carbono. Os números são dados pelo mesmo investigador do CITAB,  que sublinha a importância da pecuária.
“Os animais têm um papel importante no equilíbrio dos ecossistemas agrícolas, na estabilidade económica e ajudam a valorizar muitos recursos vegetais, como a erva, que não são adequados para utilização direta na alimentação humana”, considera Henrique Trindade.

Ler aqui.