Seca: CAP insiste com necessidade de medidas

O presidente da CAP entregou esta segunda-feira ao ministro da Agricultura um documento técnico no qual se defende a implementação urgente de medidas administrativas para fazer face à seca que está a afetar o país e cuja experiência recente comprova que podem ter expressão e eficácia desde que sejam aplicadas de imediato.

seca

«O território nacional está a atravessar mais um período de seca, que se está a tornar num fenómeno recorrente em Portugal, afetando de forma muito séria toda a atividade pecuária, agrícola e florestal. Neste momento os danos causados à agricultura nacional por mais este período de seca são ainda imprevisíveis, dado que dependem da evolução da seca em termos de extensão territorial, intensidade e duração. No entanto a experiência diz-nos que há medidas que podem e devem ser implementadas para ajudar o setor agrícola a fazer face à seca», defende a CAP.

«Diz-nos também que a maioria destas medidas beneficia em ser implementada o quanto antes, já que o seu potencial efeito só terá alguma expressão e eficácia se as medidas foram lançadas atempadamente»:

1. Greening: Pastoreio das áreas de pousio

2. Prémio à vaca em aleitamento

2.1. Alargamento do intervalo entre partos

2.2. Aumento do número máximo de novilhas admissível

3. Manutenção de raças autóctones em risco

3.1. Alargamento do intervalo entre partos dos pequenos ruminantes

3.2. Alteração do período de retenção dos equídeos e suínos

4. Redução do encabeçamento mínimo exigido para o pagamento das superfícies forrageiras

5. Alimentos para os animais em MPB (produção biológica) ou PRODI (produção integrada)

6. Corte de feno nos lameiros de sequeiro

7. Manutenção do compromisso no caso de incumprimento das áreas mínimas cultivadas com culturas anuais

8. Antecipar os pagamentos das ajudas diretas da PAC

9. Apoio direto aos agricultores afetados

O documento com a apresentação técnica e detalhada destas medidas propostas foi entregue pessoalmente pelo Presidente da CAP ao ministro da Agricultura no dia 1 de abril.