Reguengos de Monsaraz é “palco” em 2020 da Conferência Mundial de Enoturismo

Reguengos de Monsaraz, um dos principais concelhos vitivinícolas do país, vai acolher, em 2020, a 5.ª Conferência Mundial de Enoturismo, para debater o setor e estratégias para o desenvolvimento do turismo de vinhos.

enoturismo

A Câmara de Reguengos de Monsaraz, no concelho de Évora, anunciou em comunicado, que o concelho vai ser “palco” desta iniciativa, promovida pela Organização Mundial de Turismo (OMT) e agendada para o «outono de 2020».

O evento, de periodicidade anual, «reúne especialistas para analisar o setor do enoturismo a nível mundial, debater as suas problemáticas e apontar estratégias para o desenvolvimento do turismo de vinhos», disse o município.

A edição deste ano vai ter lugar na Moldávia, esta quinta e sexta-feira, cabendo o Chile, em 2019, organizar a conferência mundial.

A escolha do município português como «anfitrião» da edição em 2020 surge depois de, no início deste ano, Reguengos de Monsaraz ter recebido a primeira visita oficial do secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, que tinha tomado posse «poucas semanas» antes.

Citada pela autarquia, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considerou tratar-se de «mais uma conquista que vai ajudar a promover e posicionar Portugal internacionalmente como destino imperdível de enoturismo».

«Traduz o reconhecimento da forma como Portugal é hoje visto como um “case study” internacional no turismo», congratulou-se a governante.

Já o presidente da câmara alentejana, José Calixto, afiançou que acolher o evento vai ser «uma honra» para o concelho, que «assume centralidade no panorama vitivinícola português». Trata-se, para o autarca, do «culminar de uma fase de ouro» no que toca «à promoção» de Reguengos de Monsaraz «no mundo», iniciada com a Cidade Europeia do Vinho, título que ostentou em 2015.

«Cinco anos depois assumiremos a organização do maior evento que se realiza no mundo sobre enoturismo», congratulou-se José Calixto, que é o atual presidente da Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN).

O concelho de Reguengos de Monsaraz, divulgou a câmara, tem atualmente cerca de quatro mil hectares de vinhas e conta com 10 produtores vitivinícolas, os quais, em conjunto, produzem anualmente mais de 25 milhões de litros de vinho.

Depois do evento Cidade Europeia do Vinho 2015, a câmara registou a marca “Reguengos de Monsaraz – Capital dos Vinhos de Portugal” e está a desenvolver uma campanha internacional de promoção.

No ano passado, este município alentejano registou um aumento de 12,4 por cento das visitas turísticas no concelho, face a 2016, acolhendo «cerca de 100 mil turistas», lembrou a autarquia.

Fonte: Diário de Notícias