Redução de apoios para novas vinhas após 2018 preocupa região dos vinhos verdes

O presidente da Comissão de Viticultura da Região de Vinhos Verdes está preocupado com a redução efetiva de apoios comunitários para novas vinhas a partir de 2018.

«Preocupa-nos ver que o programa Vitis, que é o programa que financia as vinhas, não se aplica a estas novas vinhas, e gostávamos de ver que houvesse em Bruxelas uma negociação para permitir que os agricultores tenham acesso a esses apoios», disse recentemente Manuel Pinheiro, presidente da Comissão de Viticultura da Região de Vinhos Verdes (CVRVV).

«A partir de 2018 vão ser reduzidos os apoios para o plantio de novas vinhas», informou Manuel Pinheiro, explicando que para plantar novas vinhas, o agricultor «precisa de ter apoios que tornem rentável esse investimento».

O programa Vitis financia a renovação das vinhas em 75% a fundo perdido, mas no futuro as novas vinhas não se podem candidatar àquele programa comunitário, podendo apenas candidatar-se a outros programas mais regulares, que dão apoios inferiores a 50%.

Isso «vai tornar mais difícil aos produtores fazerem novas vinhas», considerou Manuel Pinheiro, alertando que a renovação das vinhas é «essencial para a viticultura no norte do país e no Minho em particular».

Fonte: Lusa