Quase metade dos alimentos são desaproveitados

Técnicas agrícolas, de armazenamento e de transporte desadequadas, a que se soma a lógica da sociedade de consumo, levam a que entre 30 a 50% dos alimentos produzidos anualmente acabem no lixo, indica a Instituição britânica dos Engenheiros Mecânicos. 

Entre 1,2 a 2 mil milhões toneladas dos alimentos – 30 a 50% dos produzidos anualmente em todo o mundo – acabam no lixo, segundo indica um relatório hoje divulgado pela Instituição britânica dos Engenheiros Mecânicos .

Segundo as estimativas das Nações Unidas (ONU), a população mundial terá atingido os 9,5 mil milhões de pessoas em 2075, o que significa que o planeta terá mais 3 mil milhões de pessoas para alimentar.

O relatório “Global Food, Wast Not, Want Not” refere a previsão da ONU sobre o aumento da população mundial, a par dos seus números sobre o desperdício, para alertar para a importância de se atuar sobre as causas que levam a que grande parte dos alimentos produzidos em todo o planeta sejam desaproveitados.

Alterar as mentalidades

Uma produção que tem elevados custos ambientais, dada a quantidade de terrenos, de energia, fertilizantes e água que requere. E caso não se resolva o problema do desperdício, a produção terá de aumentar significativamente.

Técnicas agrícolas, de armazenamento e de transporte desadequadas, a par do modo de funcionamento dos mercados e da sociedade de consumo são apontados como as causas do problema.

O relatório recomenda que a ONU trabalhe conjuntamente com os diferentes governos e com instituições de apoio ao desenvolvimento para “alterar as mentalidades em relação ao desperdício, desencorajando as práticas de desperdício de agricultores, produtores de alimentos, supermercados e consumidores”.