Pequenos frutos: mirtilo em cultura ao ar livre

Drosófila de asa manchada

(Drosophyla suzukii)

Medidas preventivas

A maioria das variedades de mirtilo está em fase de desenvolvimento dos frutos.

Temos capturado elevadas quantidades de adultos desta praga na nossa rede de armadilhas de monitorização.

Aproxima-se o início da maturação dos frutos e da colheita. Lembramos a necessidade de reforçar os dispositivos de monitorização e de captura massiva desta mosca.

Caso venha a ser necessária a aplicação de inseticidas, deve respeitar rigorosamente as doses e os intervalos de segurança recomendados.

Estão homologados produtos à base de acetamiprida (EPIK SG), lambda-cialotrina (KARATE ZEON) e spinetorame (DELEGATE 250 WG).

Eliminação de frutos rejeitados

Previna-se desde já com vários bidões plásticos com tampa que vede bem (25 ou 50 litros – é melhor ter vários pequenos, para ir rodando) ou com sacos de plástico escuro fortes.

Em cada dia de colheita, proceda à separação e recolha cuidadosa de frutos com sintomas de presença larvas (e ovos) de drosófila e de um modo geral, de todos os frutos rejeitados, tanto na colheita como na triagem. É essencial não deixar frutos caídos no chão nem nas plantas.

Coloque estes frutos dentro dos sacos plásticos ou dos bidões plásticos bem fechados e exponha-os ao sol durante 4 ou 5 dias. O calor destrói larvas, ovos e pupas de drosófila que estiverem nos frutos rejeitados.

Depois, esvazie os sacos ou os bidões para um buraco e cubra com terra.

A compostagem não destrói os ovos, larvas e pupas da drosófila, pelo que os frutos atacados não devem ir para os compostores.

Deve colher todos os frutos, ripando no final os que já não tiverem interesse comercial.

Todos os frutos de refugo devem ser retirados dos pomares. Os frutos de refugo sãos podem ter múltiplos aproveitamentos - compotas, vinagre de fruta, licores, congelação. Os últimos refugos podem ser usados na alimentação de aves de capoeira, distribuindo-os em pequenas quantidades de cada vez, de forma a reduzir a possibilidade de escaparem algumas larvas de drosófila que possam ter.

Morangueiro

Medidas preventivas

A fim de limitar a proliferação dos diversos inimigos da cultura, devem ser tomadas medidas preventivas gerais:

- não acumular restos vegetais no meio ou nas imediações das culturas, pois são reservatórios de pragas e doenças.

- queimar esses restos, sempre que possível.

- procurar conservar as parcelas de cultura ao ar livre e as imediações das estufas limpas de ervas infestantes e de restos de cultura e outros detritos.

Fonte: Estação de Avisos Entre o Douro e Minho