FacebookRSS feed

Agrotec

Organização da Feira do Fumeiro prevê volume de negócios superior a dois ME

Os produtores presentes na Feira do Fumeiro de Montalegre, que se realiza desta quinta-feira até o próximo domingo, esperam comercializar 50 toneladas de enchidos, num volume de negócios superior a dois milhões de euros.

Orlando Alves referiu que a «rainha das feiras do fumeiro», este ano na sua 22.ª edição, foi uma aposta ganha do município porque é um importante contributo para a riqueza da região e das famílias da vila transmontana.

A queda de neve, que nos últimos dias obrigou ao encerramento das escolas e corte de estradas, é, na opinião do autarca, o condimento que faltava para tornar a feira «um atractivo ainda maior». «As estradas estão limpas, portanto, os visitantes podem vir a Montalegre sem receio», disse.

A crise também não assusta o responsável porque, afirmou, os preços dos produtos mantém-se inalteráveis há 21 anos, tendo já um público «fiel». Esperando receber entre 70 a 80 mil visitantes, o edil garantiu que há já problemas de logística para acolher tantas pessoas.

Com 86 produtores, 76 de fumeiro, a feira deste ano conta com 52.524 quilos de fumeiro, de um total de 840 porcos, 23.149 pães e derivados, 2.595 frascos de mel, 700 doces e compotas e 115 litros de licores, representando um volume de negócios superior a dois milhões de euros.

Orlando Alves explicou que é feito um acompanhamento «muito rigoroso» à alimentação e à matança dos suínos, bem como à produção de derivados. «Já excluímos alguns produtores por não serem cumpridores das regras e é altamente pedagógico porque as pessoas ganham a noção de que há quem supervisiona», frisou.

Com a particularidade de só vender produtos da região, o autarca realçou que, apesar das solicitações, não participam no certame queijos, vinhos e artesanato de outras terras.

O vice-presidente, com o pelouro das feiras, considerou que as pessoas, ao comprarem produtos feitos no país, estão a contribuir para que os parentes, vizinhos e conterrâneos tenham emprego e «pão na mesa».

A autarquia investiu 100 mil euros no certame a pensar nos produtores a trabalhar o ano inteiro para escoar os seus produtos nestes dias. Com a ajuda de vídeos promocionais adaptados de êxitos internacionais, Orlando Alves considerou que a feira do fumeiro consegue fidelizar turistas devido ao «saber fazer». «É uma feira onde a actividade comercial se exerce na plenitude», concluiu.

Fonte: Lusa (via Confagri)