FacebookLinkedin

Agrotec

Novo estudo detalha relação entre laticínios e saúde óssea

Um estudo realizado por pesquisadores do Institute for Aging Research (IFAR), um afiliado da Harvard Medical School (HMS), descobriu que a ingestão de laticínios – especialmente leite e iogurte – está associada com uma maior densidade mineral óssea (DMO) do quadril, mas não da coluna vertebral. Já o creme de leite, por outro lado, pode estar associado com uma menor DMO total.

Publicado na revista Archives of Osteoporosis, o estudo sugere que nem todos os produtos lácteos são igualmente benéficos para promover a saúde dos ossos.

“De acordo com os pesquisadores, os laticínios fornecem diversos nutrientes importantes que são benéficos para a saúde óssea. No entanto, o creme de leite e seus derivados, tais como sorvetes, apresentam baixos níveis desses nutrientes e têm altos níveis de gordura e açúcar”, informa o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti, (CRM-SP 60.377), diretor do Iredo, Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares.

Segundo os resultados da pesquisa, 2,5-3 porções de leite e de iogurte por dia foram associadas a uma melhor densidade óssea. Mais pesquisas são necessárias para examinar o papel da ingestão do queijo (alguns dos quais podem ser ricos em gordura e sódio) e se os alimentos lácteos individualmente têm um impacto significativo na redução de fraturas.

Os pesquisadores basearam suas conclusões em dados coletados a partir de um questionário de frequência alimentar preenchido por 3.212 participantes do Framingham Offspring Study. Eles compararam a ingestão de laticínios dos participantes com sua densidade mineral óssea, o que revelou os benefícios do leite e do iogurte e os malefícios do creme de leite para grande parte dos homens e mulheres de meia idade que participaram do estudo.

Fonte: ANIL/Tribuna do Norte – Natal (via Confagri)