FacebookLinkedin

Agrotec

Micorrizas da Agriminho levam a aumento de 48% do crescimento das raízes de mirtilo

As micorrizas ericóides, específicas de mirtilo, comercializadas, em exclusivo, pela Agriminho, têm um impacto muito significativo, e positivo, no crescimento das plantas de mirtilo recentemente instaladas.

mirtilos

A informação é veiculada pela Agriminho no seu site, onde se pode ainda perceber que um estudo independente, conduzido pela Universidade do Porto, com micorrizas em plantas de mirtilo das cultivares Aurora e Duke demonstrou, sempre, um aumento muito significativo do peso e volume das raízes.

No estudo, recentemente apresentado no Colóquio Nacional de Produção Pequenos Frutos, os investigadores demonstraram que as plantas micorrizadas, ao fim de 14 meses, tinham entre 31% e 48% maior peso radicular em relação a plantas não inoculadas.

De igual modo, foi constatado que as plantas micorrizadas da cultivar aurora apresentavam caules 13% mais longos e raízes 26% mais longas.

«Além do impressionante aumento do vigor vegetativo, as plantas micorrizadas apresentaram, de uma forma geral, maiores teores de nutrientes (Pótássio, Fósforo e micronutrientes), nas folhas, raízes e caules», informa a Agriminho.

Se vai realizar uma nova plantação de mirtilo a Agriminho recomenda que se realize antecipadamente a inoculação das suas plantas pois, depois de plantadas, o trabalho e a despesa para realizar a inoculação sobem consideravelmente, e não aproveita o maior potencial de interesse das micorrizas.

Nota: Gráficos extraídos de Gonçalves, P.; Silva, N.;Machado, J.; Vasconcelos, M. & Carvalho, S. (2016) – Avaliação dos efeitos da aplicação de micorrizas ericóides no crescimento de mirtilo (Vaccinium corymbosum L.). Atas do V Colóquio Nacional de Produção de Pequenos Frutos.