FacebookLinkedin

Agrotec

Laboratório Espanhol utiliza tecnologia que prolonga vida dos Pequenos Frutos

O Laboratório de Tecnologia dos Alimentos e Pós-Colheita do Centro Tecnológico de Agroindústria da ADESVA (Espanha) adquiriu recentemente um equipamento capaz de alargar a vida comercial dos produtos hortofrutícolas, com especial incidência nos pequenos frutos, garantindo a sua segurança e qualidade alimentar sem recurso a substâncias químicas.

Concretamente, a aplicação desta tecnologia permite, por exemplo, alargar em pelo menos 50% a vida comercial de morangos e outros frutos vermelhos, e reduzir a contaminação bacteriana por Listeria monocytogenes em pimentos em 90% num espaço de uma hora. Ainda segundo aquele Centro Tecnológico, esta tecnologia foi validada para um amplo espectro de frutas e legumes.

Para a ADESVA, esta inovação representa um grande avanço no campo da descontaminação ambiental e na inocuidade de produtos hortofrutícolas frescos, dado que o processo é “limpo”, ou jesa, traduz-se num processo de transformação do ar num veículo de higienização eficiente. Este sistema paralisa a ação dos microrganismos que afetam habitualmente as frutas e legumes frescos, através da ativação do oxigénio do ar, conseguindo alargar a sua vida útil sem alterar as suas propriedades organoléticas.

O setor agroalimentar e da distribuição, assim como os consumidores, enfrentam perdas de até 30% em países desenvolvidos, devido ao facto das frutas e legumes frescos serem produtos perecíveis e muito vulneráveis, que estão expostos à contaminação e proliferação de microrganismos patógenos, que originam importantes danos na saúde dos consumidores. O uso desta tecnologia permite reduzir os danos produzidos pelos microrganismos e alargar a sua vida comercial, reduzindo consideravelmente as perdas económicas, adianta a ADESVA.

Fonte: MarketingAgricola.pt