Juntar Pequenos Frutos para conseguir Grandes Vendas

entrevista

A RedFields é uma jovem empresa de comercialização de pequenos frutos, criada em 2014 e com o objetivo explícito de se tornar numa Organização de Produtores. Segundo Pedro Soares e Sandra Augusto, fundadores e atuais Gestores, o projeto surgiu " da necessidade de valorizar o fruto dos produtores e do gosto pela cultura dos frutos vermelhos". Sendo o escoamento um aspeto fulcral da atividade profissional agrícola, para atingir esse objetivo, a equipa da RedFields percebeu que teria que "escoar diretamente as produções, e saltar os vários operadores intermediários que se encontravam pelo caminho e que apenas vinham diminuir o rendimento do produtor".

Em entrevista à AGROTEC/Pequenos Frutos, Pedro Soares adianta que a empresa já conseguiu estabelecer com sucesso diversas relações comerciais com produtores em todo o território nacional, de forma a aumentar o volume de produção e satisfazer as encomendas dos clientes internacionais. De momento, a empresa conta já com 30 produtores associados.

Pequenos Frutos: O que é a Redfields?

Pedro Soares: A RedFields surge com o intuito de comercializar pequenos frutos de excelente qualidade destinados a serem consumidos nos mercados mais exigentes. Temos como objetivo garantir a distribuição dos melhores e mais saborosos frutos criando assim mais valor para os produtores que nos acompanham em todo o processo. 

PF: A Redfields ambiciona tornar-se numa Organização de Produtores?

Sandra Augusto: A RedFields foi criada em inícios de 2014 por produtores de pequenos frutos, com o objetivo de agregação e constituição de Organização de Produtores (OP). Neste momento, contamos já com um número alargado de produtores interessados em fazer parte da OP.

 PF: Quais os frutos que a Redfields comercializa?

PS: Comercializamos todos os pequenos frutos (framboesas, mirtilos, amoras, groselhas, physalis…).

PF: Qual o destino da produção dos associados (produtores) da Redfields?

SA: A RedFields tem uma vasta carteira de clientes situados em diversas zonas geográficas do Globo, os circuitos mais comuns são o Reino Unido, Bélgica, Holanda, França e os Países Escandinavos. No entanto, apenas produtores que apresentam uma qualidade acima da média podem entrar em mercados aliciantes, como os Países Escandinavos.

PF: Quais as principais vantagens para os produtores associados?

PS: Os produtores associados têm como principal vantagem escoar as suas produções a preços justos e acima das médias divulgadas recentemente por outros operadores de mercado.

Estes produtores beneficiam também das parcerias que temos com diversas empresas, como por exemplo na logística Nacional e Internacional, na aquisição de adubos, na aquisição de material de embalamento e sobretudo no apoio técnico imprescindível para se conseguir ter qualidade e bons fatores produtivos.

Outro benefício importante assenta no facto de, para além de sermos uma empresa comercializadora também somos produtores, e existe uma troca mútua de experiências e conhecimentos que nos permitem evoluir em termos de técnicas de produção/gestão da atividade agrícola.

PF: E a nível geográfico? A localização é um fator restritivo para ser produtor associado?

SA: Neste momento, trabalhamos com todos os produtores a nível Nacional, diariamente recebemos transportes nacionais dos nossos produtores de Norte a Sul do país.

 PF: Como é feito o transporte do fruto a partir das explorações dos cooperantes? A Redfields assegura essa parte logística, quer a nível operacional como de custos?

PS: Por norma, processa-se da seguinte forma:

Produtores locais fazem entregas diárias no nosso entreposto, restantes produtores (novos produtores) usam as transportadoras nacionais para nos entregar os frutos diariamente. Os custos dos envios estão a cargo dos produtores, os nossos preços finais pagos ao produtor são referentes ao produto embalado colocado nas nossas instalações ou com saídas diretas, como é o caso de alguns produtores que apresentam grandes volumes.

Como referido acima, produtores que apresentem grandes volumes, selecionados e com histórico de qualidade têm a possibilidade de saídas diretas das suas explorações para os mercados externos, no entanto, terão de ser validados para o efeito.

Não perca a entrevista completa à RedFields, na próxima Pequenos Frutos (suplemento da AGROTEC). Poderá tornar-se leitor da revista AGROTEC efetuando uma assinatura anual ou adquirindo em banca, nos vários pontos de venda distribuidos por Portugal Continental e Ilhas.