Irlanda volta a exportar carne de bovino para o Egito

bovinos

As autoridades irlandesas e egípcias chegaram a um acordo para voltar a abrir o mercado egípcio à carne de bovino da Irlanda.

O acordo prevê a aprovação de cinco plantas irlandesas, que podem iniciar as suas exportações para o Egito, uma vez terminadas algumas medidas técnicas.

Em fevereiro de 2016, alcançou-se a abertura ao mercado egípcio para o gado bovino vivo da Irlanda.

O Egito fechou o seu mercado ao gado bovino da União Europeia (UE) em 1990 devido à Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB). Antes deste encerramento, era um dos maiores mercados para a carne de bovino da Irlanda. O acordo para abrir o mercado egípcio foi possível graças ao trabalho conjunto do ministério irlandês de Agricultura, Bord Bia e o Ministério irlandês de Assunto Exteriores, conforme destaca o ministro irlandês de Agricultura, Michael Creed.

O Egito é o maior mercado de consumo no Médio Oriente e Norte de África, com cerca de 95 milhões de consumidores. É o terceiro maior destino das exportações agroalimentares irlandesas para África com a exportação de 45 milhões de euros em 2015, quase exclusivamente de laticínios, com 30,5 milhões de euros e mariscos, com 11 milhões de euros.

Em 2015, a Irlanda abriu o mercado dos Estados Unidos da América (EUA) às suas exportações de carne de bovino. Em 2016, conseguiu a abertura do Canadá, Nova Zelândia, Israel e grandes avanços na Chinam Coreia do Sul e Vietname.

Fonte: Agrodigital