Incentivo à criação de gado tradicional é aposta da Câmara Municipal de Cinfães

patrimnio arouquense 0191A Câmara Municipal de Cinfães, conhecida por fazer parte da região produtora de bovinos de raça arouquesa, anunciou a criação de um programa de apoio à criação de gado tradicional.

O Programa de Incentivo Animal (PIA) prevê que os produtores de bovinos de raça arouquesa recebam 50 euros por cada cria que nasça e seja registada no município, com uma majoração de 100 euros por cada novilha que atinja os 18 meses e se destine à reprodução.

Esta é “uma forma de incentivar a actividade económica e a fixação de pessoas”, destinando-se também “a estimular a produção pecuária e, com isso, melhorar a débil economia local de forma sustentada”, disse o Presidente da Cãmara de Cinfães, Armando Mourisco.

A Câmara de Cinfães lançou também um programa de apoio à economia e emprego, que “visa incentivar a actividade empresarial, de acordo com a matriz de desenvolvimento do concelho”.

Os apoios prevêm a cedência de terrenos em áreas adaptadas ao investimento em causa, bonificação do preço de cedência de terrenos, realização de algumas obras de infraestruturas, cedência de edifícios e equipamentos, benefícios fiscais nos impostos a cuja receita o município tenha direito e isenção de taxas municipais nas obras de urbanização e edificação, a agilização na apreciação dos processos de licenciamento, com a disponibilização de um gabinete de apoio à instalação de novos investimentos, e a atribuição de um subsídio, não reembolsável, correspondente ao pagamento de seis meses de remuneração, tendo por base o salário mínimo nacional, por cada posto de trabalho criado.

Dirigido aos mais jovens, o município de Cinfães criou também o programa municipal de estágios Jovem Activo, que tem como principal objectivo “contribuir para a integração dos jovens desempregados no mercado de trabalho, no sentido da promoção de competências socioprofissionais”.

Destina-se a jovens que residam no concelho há mais de um ano e reúnam os requisitos previstos no regulamento de estágios de emprego do IEFP.

Assim, a Câmara de Cinfães assume “a comparticipação da componente não financiada a cargo das entidades receptoras de estagiários, nomeadamente a percentagem correspondente ao encargo com a remuneração e os encargos correspondentes à segurança social”.

Fonte: Agroportal.