II edição da Exposição Internacional de Orquídeas regressa a Lisboa

orquidea

Exposição decorre na Estufa Fria, de 10 a 12 de novembro de 2017.

Organizada pela Associação Portuguesa de Orquidofilia (APO), em cooperação com a Câmara Municipal de Lisboa (CML), a mostra pretende fomentar o conhecimento e interesse por esta família de curiosas e bonitas plantas, nas suas mais variadas vertentes.

«As orquídeas são capazes de despertar os mais nobres sentimentos, unir pessoas e mudar vidas. O amor que as pessoas têm pelas orquídeas é impressionante e pudemos assistir a isso no decorrer da 1.ª Exposição. Foi por isso que, depois do sucesso do ano passado, ficou claro que teria que haver uma 2.ª edição. Queremos incrementar o colecionismo na área de Lisboa à semelhança do que já acontece no Norte do país, convidando o público a visitar a Estufa-Fria durante os dias 14, 15 e 16 de outubro», refere Ana Côrrea Nunes, da APO.

Com um programa completo, que inclui mais de uma dezena de expositores, entre os quais a coleção de orquídeas da CML com mais de 40 anos, dos associados da APO, do Orquidário de Estepona e de colecionadores particulares. Para além das exposições, o público será também convidado a participar em workshops e palestras relacionadas com a temática.

Estimando-se a presença de mais de 5 mil visitantes durante os três dias, esta edição contará com mais expositores estrangeiros, vindo de vários continentes, bem como dos maiores hortos nacionais, conhecidos pelas orquídeas que comercializam.

No final da Exposição serão distribuídos os prémios para as melhores plantas de colecionadores e melhor stand.

A entrada tem um custo dois euros.

Formada em 2007, a Associação Portuguesa de Orquidofilia nasce da necessidade de criar um grupo, aberto a todas as nacionalidades, que refletisse o cultivo nas condições de Portugal e que pudesse também servir como catalisador para o desenvolvimento nacional da orquidofilia.

Os objetivos da Associação Portuguesa de Orquidofilia passam por fomentar o conhecimento e interesse pelas orquídeas, nas suas mais variadas vertentes e por ajudar na sua conservação, tanto no seu habitat natural, como através da manutenção de plantas raras nas coleções privadas.