IACA asssegura entregas diárias de ração a produtores afetados por incêndios

A Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais (IACA) está a entregar toneladas de alimentos para apoiar os pequenos produtores afetados pelos incêndios em Vila de Rei, Mação e Sertã.

Texto: Ana Catarina Monteiro

Os industriais de alimentos compostos estimam que, nas zonas afetadas pelos incêndios, estejam em défice nutricional 3000 pequenos ruminantes (ovinos e caprinos) e 100 bovinos.

A operação solidária da IACA arrancou ontem (25 de julho), sendo que hoje a alimentação está a ser entregue na Zona Industrial do Carrascal, em Vila de Rei, a par da visita do Ministro da Agricultura Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

Entre estes dois dias, a associação completa um total de seis toneladas entregues a mais de duas centenas de pequenos produtores afectados pelos incêndios.

“A operação vai continuar nos próximos dias e enquanto for necessária”, assegura em comunicado a IACA.

Além disso, a ação solidária, que está a ser implementada em articulação com a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e com os responsáveis veterinários dos municípios em questão, “inclui a possibilidade de produção de ração de emergência, uma alimentação animal com características especiais e que visa garantir as necessidades básicas dos animais enquanto a normalidade não é retomada”.

A IACA começou em 2017 a prestar apoio aos produtores pecuários afetados pelos incêndios que devastam o país nos meses mais quentes do ano, envolvendo voluntariamente todos os associados da instituição. Naquele ano, foram oferecidas mais de 150 toneladas de alimentos para animais e foi criada uma ração de emergência para garantir a subsistência dos mesmos.

Este ano, a retomada iniciativa IACA Solidária envolve até ao momento seis dos associados da instituição, que representam 80% da produção nacional.

«Contribuir para o bem-estar animal, no que à alimentação diz respeito, e sermos solidários com as populações, é uma das missões desta associação. Não poderíamos fazer outra coisa se não o que estamos a fazer neste momento e o que fizemos em 2017: ir para o terreno e zelar para que os animais estejam bem nutridos, mesmo em situações anómalas como as que enfrentamos neste momento», declara Jaime Piçarra, secretário-geral da IACA.