Há uma nova baga à espera de autorização da UE para ser reconhecida

A Haskap promete ser uma nova baga, rica em antioxidantes e muitos ingredientes nutritivos, proveniente do Reino Unido e da Polónia, mas que ainda não é uma espécie reconhecida na União Europeia (UE).

baga

O fruto foi gerado pela Thames AG, uma subsidiária da CPM Retail.

«No Reino Unido está a ser tratado como um novo alimento, como uma baga que não existe», disse Rachel Montague-Ebbs, diretora da divisão de fornecimento da CPM Retail, na Asia Fruit Logistic, em Hong Kong.

Segundo a executiva, a baga Haskap, é nativa do Japão e do Extremo Oriente da Rússia.

Já é vendida no Canadá, mas quer abrir-se a outros mercados. Sem o certificado da UE será difícil que outros países tenham acesso a este fruto que se parece com um arando alongado, com um sabor entre framboesa e flor sabugueiro.

Tem o dobro dos antioxidantes dos arandos selvagens e três vezes mais ferro, por isso é muito popular em países onde existe a consciência da saúde.

O reconhecimento por parte da União Europeia poderá demorar entre 18 a 24 meses. No entanto, o Brexit poderá ser outro tema incerto para tentar obter este reconhecimento.

Uma vez com o certificado em que se aprova a existência da baga Haskap, a empresa vê com bons olhos a possibilidade de entrar em outros mercados.

«Nós sabemos que o volume realmente vai subir nos próximos anos - teremos 500 toneladas em 2020, por isso queremos ser vender para mercados fora da UE».

«Esta baga é vista como o grande novo superalimento. Eu acho que vai ser interessante em pó. As pessoas já têm os seus pós de goji e açaí, que colocam nos cereais e iogurte, e o Haskap seria uma escolha muito boa para esse tipo de coisa», concluiu a executiva, acrescentando também que a estação da fruta fresca é muito curta, por isso, parte da colheita poderia ser vendida como produtos congelados ou secos.

Fonte: Portalfruticola