Há mais gado para consumo e menos pescado em Portugal

Maior volume de abate de animais leva a um aumento de gado disponível para consumo. Já o pescado capturado caiu 15,7% em maio, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).

abate animal

Texto: Ana Catarina Monteiro

A quantidade de gado abatido e aprovado para consumo em maio foi de 39 881 toneladas, o que corresponde a um acréscimo de 1,8% (depois de uma subida de 9,6% em abril, em termos homólogos) face ao mesmo mês em 2018. O aumento deve-se ao maior volume de abate registado nos suínos (+4,0%), ovinos (+6,5%) e equídeos (+114,3%), revelam os mais recentes dados do INE publicados no Boletim Mensal da Agricultura e Pescas do INE, relativo ao mês de julho.

O peso total de aves e coelhos abatidos e aprovados para consumo foi de 30 608 toneladas, o que representa também um aumento de 2,8%, face ao período homólogo anterior, devido ao maior volume de galináceos (+5,4%).

Produção de aves e ovos

O volume de produção de frango teve um aumento homólogo de 4,5% (+0,7% em abril), com 27 002 toneladas. Pelo contrário, a produção de ovos de galinha para consumo decresceu 5,2%, com 8 915 toneladas produzidas.

Produção de leite e produtos lácteos

As 171,3 mil toneladas de leite de vaca recolhidas refletem um decréscimo de 2,9% em relação ao mês homólogo do ano anterior. O fabrico de produtos lácteos foi também inferior em 6,1% devido sobretudo ao decréscimo do volume do leite para consumo (-7,7%), leites acidificados (-6,4%) e manteiga (-3,1%).

Pescado capturado

O volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 15,7%, depois do aumento de 7,5% em abril. O que se deve sobretudo pela menor captura de peixes marinhos, nomeadamente cavala, sardinha, atuns e peixe-espada.

Às 10 101 toneladas de pescado corresponde uma receita de 25 218 mil euros, valor que representou um decréscimo de 5,6%. O preço médio do pescado descarregado foi 2,40 euros/kg, ou seja, um acréscimo de 12,5%.

Preços e índices de preços agrícolas

Em junho de 2019, as variações homólogas mais significativas no índice de preços de produtos agrícolas no produtor foram observadas nos suínos (+12,6%), batata (-27,9%), azeite a granel (-13,6%), ovos (-12,3%) e frutos (-9,0%).

Em comparação com o mês anterior, as variações de maior amplitude verificaram-se nos hortícolas frescos (+16,7%), suínos (+5,8%), batata (-44,9%), frutos (-8,2%), plantas e flores (-7,6%) e ovinos e caprinos (-6,7%).