“Flower&Garden Attraction” chega em outubro

A décima edição da Fruit Attraction, que decorre entre 23 e 25 de outubro, em Madrid, conta com uma nova área expositiva para o setor comercializador de flores e plantas: a “Flower&Garden Attraction”.

flores

Esta área tem como objetivo contribuir para dinamizar o setor e ampliar a capacidade das empresas participantes como plataforma internacional de venda onde a diversidade, inovação e tendências serão os eixos fundamentais da convocatória.

Esta nova iniciativa pretende dar uma maior e melhor visibilidade às empresas de flor e planta viva que têm vindo a participar em anos anteriores na Fruit Attraction, facilitando também a incorporação de novas empresas participantes nesta nova área específica.

A Flower&Garden Attraction responde, também, ao interesse manifestado por empresas internacionais do setor em participar na Fruit Attraction 2018, assim como a petição expressa formulada nos últimos anos por um grande número de visitantes nos questionários elaborados pela Feira.

Esta nova área expositiva nasce com o objetivo de contribuir para dinamizar e reativar o setor profissional de flores e plantas, desde uma dupla perspetiva. P

or um lado, potenciar o desenvolvimento dos atuais canais de comercialização no mercado doméstico, destacando centros de jardinagem e prestando especial interesse à grande distribuição que se está a converter num importante ponto de compra dos consumidores espanhóis.

Por outro lado, criar uma cultura de consumo de flor e planta no mercado espanhol, aproximando-nos dos níveis mais altos dos países da UE. A Flower&Garden Attraction pretende também servir de ponto de encontro internacional para a comercialização entre a oferta e a procura do setor de flores e plantas.

A Flower&Garden Attraction beneficiará das sinergias da convocatória da Fruit Attraction, contando, em todo caso, com identidade e espaço específicos, e transforma-se numa das protagonistas desta décima edição. O perfil de visitante habitual da Fruit Attraction - chefes de compra das cadeias de supermercados de todo o mundo, especialmente europeus - poderão igualmente aproveitar a sua assistência ao evento para conhecer a oferta de flor e planta que podem oferecer aos seus clientes.

Nas palavras do seu diretor, Raúl Calleja «a Flower&Garden Attraction nasce no lugar adequado e no momento oportuno para assegurar o retorno de investimento para as empresas participantes garantindo, com grandes níveis de investimento por parte da Ifema, uma procura de visitantes de qualidade, comercialmente dinâmica e internacional. Estes são os passos para poder oferecer ao mercado um evento de primeiro nível e profissional, e é nossa obsessão de serviço ao cliente: reinvestir todos os recursos da Flower&Garden Attraction para garantir procura, é a nossa aposta sectorial».

A Flower&Garden Attraction contará com duas grandes áreas expositivas: produção e indústria auxiliar. O perfil das empresas expositoras será o de produtores de flor e planta, grossistas e comercializadores, empresas e fabricantes de substratos, fertilizantes, sementes, fitossanitários, etc. bem como serviços e fornecedores de acessórios. No que se refere ao perfil do visitante está direcionado ao canal especialista de centros de jardinagem, grossistas comercializadores, hipermercados/supermercado, bricolage, floristas, paisagistas e decoradores.

O evento contará também com um programa de atividades e congressual específico, com o objetivo de servir como espaço para conhecer tendências, inovação e novidades no mercado.

Espanha: exportação de flores e plantas vivas cresceu 11% em 2017
A exportação espanhola de flores e plantas vivas cresceu 11% em 2017, relativamente a 2016, totalizando 362,7 milhões de euros, com destaque para o aumento da planta viva, o capítulo principal de exportação dentro do setor, alcançando 303,1 milhões de euros, segundo dados da Direção Geral de Alfândegas, processados pela FEPEX.

Dentro das vendas de planta viva ao exterior, destaca-se a progressão das plantas de exterior, com 116,3 milhões de euros (+8%) e planta de interior com 54,9 milhões de euros (+6%), assim como de árvores e arbustos, com 50,4 milhões de euros (+24%).

Em 2017 também se registou um aumentou da exportação de flor cortada em 4% com relação a 2016, totalizando 40,3 milhões de euros, devido, principalmente, ao forte crescimento da rosa, com 9,7 milhões de euros, 271% mais que no ano anterior, ao passo que o cravo, a principal flor cortada exportada por Espanha decresceu 43%, situando-se em 11,2 milhões de euros.

Os outros dois grupos de produtos destacados dentro da exportação setorial, bolbos e folhagem, também cresceram em 2017 comparativamente com 2016, com 44% no caso dos bolbos, totalizando 4,5 milhões de euros e 19% no caso da folhagem com 14,7 milhões de euros.

A Comunidade Valenciana e Andaluzia são as principais comunidades autónomas exportadoras de flor e planta viva, com um valor de exportação similar: 87,9 milhões de euros, no caso da Comunidade Valenciana, 12% mais que em 2016, e 86,1 milhões de euros no caso da Andaluzia, o mesmo valor que no ano anterior. Segue-se a Catalunha com 69,3 milhões de euros, 12% mais. Destacam-se também Castela e Leão, com 46,5 milhões de euros e um crescimento interanual de 23%, Múrcia, com 20,5 milhões de euros (-8%), e Canárias, com 10,1 milhões de euros (+16%).

Os principais países de destino das vendas ao exterior de flor e planta viva são França, Países Baixos, Portugal e Itália. França continua a ser o principal mercado, mas o crescimento em 2017 foi menor (2%) que o registado por outros países de destino.

A exportação para os Países Baixos ascendeu a 54,1 milhões de euros (+13%), para Portugal foi de 33,5 milhões de euros (+12%) e para Itália alcançou 30,9 milhões de euros, 22% mais.

No que respeita às importações espanholas de flores e plantas estas alcançaram os 216,3 milhões, com um incremento de 3% relativamente ao mesmo período sendo as saídas mais importantes a de flor cortada, com 82,9 milhões e um aumento de 5%, a planta de interior, com 30,2 milhões e um aumento de 10%, e as árvores e arbustos, com 23 milhões e uma redução de 20%.

O aumento das importações espanholas de 2017 reflete uma melhoria significativa do consumo privado de flores e plantas, a reafirmação de centros de jardinagem como canal comercial principal e de desenvolvimento da venda de flores e plantas nas cadeias de supermercados como novo e importante canal de comercialização.