FAO: Ásia e Pacífico têm de aumentar a produção alimentar até 77% para 2050

seaweed-harvesting-in-Bal-006A FAO atentou para os governos da Ásia e do Pacífico a necessidade de adotar urgentes medidas para enfrentar a subalimentação, que afeta mais de 550 milhões de pessoas.

Reconhecendo que os governos fazem notáveis progressos na redução da subalimentação, o organismo indicou que a área conta com mais pessoas famintas que todas as restantes regiões do mundo no seu conjunto.

Ante este panorama, a FAO urgiu as autoridades a melhorar os sistemas de produção e distribuição de alimentos aos consumidores, ou enfrentará sérios problemas de segurança alimentar na próxima geração.

Segundo a FAO, alguns países em desenvolvimento da Ásia e do Pacífico terão que aumentar sua produção de alimentos em até 77% para cobrir as suas necessidades em 2050, quando se espera que a população mundial alcance 9 mil milhões de pessoas.

As nações da zona representam mais de 90% da produção e consumo mundial de arroz, pelo que o organismo internacional elaborou uma estratégia que se debate nesta semana na XXXII Conferência Regional da FAO para a Ásia e o Pacífico, que terá lugar na Mongólia, com a participação de cerca de 40 países.

O organismo advertiu que as práticas agrícolas, pesqueiras e florestais devem ser modernizadas e ser mais rentáveis.

Para além disso, os países da região devem tomar medidas sérias e coordenadas para reduzir as perdas e o desperdício de alimentos, que atingem entre 30 e 50% no caso de cereais, frutas e hortaliças.

Os especialistas realçaram também que, apesar de a maioria da população contar com alimentos suficientes, não são consumidos adequadamente, daí a elevada taxa de carência de micronutrientes, o que impacta negativamente o desenvolvimento das crianças.

Ler aqui.