Estados Unidos voltam abrir portas à carne de bovino europeia

A União Europeia vai voltar a exportar carne de vaca para os Estados Unidos, pondo fim ao embargo que durava desde 1998 devido à doença das vacas loucas, segundo a Comissão Europeia (CE).

Para a CE, a reabertura deste mercado vai ser possível porque o ministério da Agricultura norte-americano decidiu «alinhar a legislação americana com as normas internacionais» em matéria de encefalopatia espongiforme bovina (BSE, na sigla inglesa, ou “doença das vacas loucas”).

Esta medida, que deve entrar em vigor três meses após a «próxima» publicação oficial «significa que as exportações de carne e outros produtos bovinos vão novamente poder ser autorizadas», segundo um comunicado da Comissão.

Para a CE, trata-se de «um avanço positivo, ainda que tardio, para abolir uma interdição injustificada e restabelecer as condições comerciais normais» entre os dois parceiros.

O mercado norte-americano fechou-se à carne bovina europeia na altura em que a epidemia de BSE se espalhou por toda a Europa, impondo normas que iam além das recomendações da Organização Mundial de Saúde Animal.

A decisão americana «lança uma mensagem clara a nível mundial, atestando a segurança da carne europeias», sublinha o mesmo comunicado, no qual a CE pede aos Estados Unidos que levante as restrições ainda em vigor sobre os produtos ovinos e caprinos.

A venda de carne é um dos pontos de discórdia das negociações entre os Estados Unidos e a União Europeia com vista a um acordo de comércio livre, com os agricultores americanos a queixarem-se das normas europeias que impedem a venda da sua carne com hormonas.

Fonte: Lusa (via Confagri)