FacebookLinkedin

Agrotec

EDIA apresenta prejuízo no último semestre

A empresa Gestora do Alqueva - EDIA - registou um aumento de 20,88% das vendas e prestação de serviços até junho, mas o desempenho não foi suficiente para igualar os resultados extraordinários de há um ano.
A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva SA (EDIA), gestora da barragem do Alqueva, no Alentejo, registou um resultado líquido semestral negativo de 6,24 milhões euros até Junho passado.

Um ano antes, a EDIA, detida a 100% pelo Estado português, tinha obtido lucros de 15,33 milhões de euros, favoravelmente impactados pela reversão de uma imparidade no valor de 16,89 milhões de euros em 2014. No primeiro semestre de 2013, as perdas tinham sido de 8,7 milhões de euros.
No relatório divulgado ao mercado no dia 31 de agosto – onde tem uma emissão obrigacionista – a gestora do Alqueva avança ainda uma progressão de 20,88% das vendas e prestação de serviços no semestre em análise, para 9,8 milhões de euros.

A maior receita, de 6,44 milhões de euros, veio da produção de energia, nomeadamente do "contrato de concessão de exploração das centrais hidroeléctricas de Alqueva e Pedrogão celebrado entre a EDIA e a EDP", que aumentou 5,48% face ao primeiro semestre de 2014.
A distribuição de água, por seu turno, foi responsável por uma receita de 3,08 milhões de euros, mais 60,41% do que 12 meses antes.
Entre janeiro e junho de 2015, a EDIA registou um EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 4,99 milhões de euros, que regrediu 21,54% face ao primeiro semestre de 2014.

O EBIT passou de 20,36 milhões de euros positivos em Junho do ano passado para 3,5 milhões de euros negativos um ano depois.
Durante os primeiros seis meses do ano, a EDIA inscreveu investimentos no valor de 22,43 milhões de euros "sem rede secundária e com capitalizações", face a 28,46 milhões de euros um ano antes, e assumiu compromissos no valor de 7,22 milhões de euros.

"Desde o início da implementação do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva (EFMA)", adianta a gestão da EDIA liderada por Pedro Salema, "os compromissos acumulados" até ao final de Junho de 2015 foram de 2,35 mil milhões de euros.
"Do investimento contratualizado falta realizar 135,77 milhões de euros, que incidem, fundamentalmente, nas redes secundária (74,47 milhões de euros) e primária (49,4 milhões de euros)". A EDIA, que obteve aumentos de capital do accionista único de 7,88 milhões de euros no semestre, terminou Junho último com um capital próprio negativo de 469,31 milhões de euros.

Fonte: Jornal de Negócios.