DSM cria aditivo capaz de reduzir emissão de gases na pecuária

A multinacional holandesa Royal DSM desenvolveu uma tecnologia para combater a emissão de gases do efeito estufa na pecuária. Atualmente, a pecuária é responsável por 10% das emissões globais de gases do efeito estufa.

A nova tecnologia, citada como uma das dez com maior potencial de ajudar o planeta em relatório recente da organização americana World Resources Institute, consiste na mistura da uma quantidade pequena do aditivo 3-NOP – abreviação do composto orgânico 3-Nitrooxypropanol – na ração reduzirá as emissões das vacas leiteiras em ao menos 25%. O benefício é maior na pecuária de corte, com uma redução de 30%, de acordo com a publicação brasileira Valôr Económico.

Designado Clean Cow, este novo produto levou dez anos a ser desenvolvido, até que em julho a DSM pediu o registo do produto aos reguladores da União Europeia. A expectativa da DSM é que as autoridades aprovem o aditivo até o início de 2021, disse à mesma fonte Mark van Nieuwland, diretor do programa Clean Cow, por ocasião de uma conferência sobre emissões de gases do efeito estufa realizada no Brasil.

Assim que o produto tiver a aprovação europeia, a DSM deve submetê-lo para registo no Brasil,um dos maiores produtores de carne bovina e que enfrenta neste momento o risco de embargos devido aos incêndios que deflagram na Amazónia.

Embora ainda não haja estimativas do impacto do novo produto para o ganhos de massa dos bovinos, o diretor do programa considera que o aditivo pode ter um efeito positivo ao inibir a emissão de metano. Desta forma, o produto permite reduzir a energia dispensada pelos animais.