Criado Consórcio de Escolas de Ciências Agrárias

Estão assinados os protocolos de criação dos consórcios de Escolas de Engenharia (CEE) e de Escolas de Ciências Agrárias (CECA). Este último envolve a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, a Universidade de Évora e Instituto Politécnico de Bragança.

Foto: UTAD

Texto: Ana Catarina Monteiro

Os consórcios criados integram-se no âmbito do Centro Internacional para a Formação Avançada em Ciências Fundamentais de Cientistas oriundos e Países de Língua Portuguesa – Ciência LP. Este centro (de categoria 2) resulta do acordo assinado em Paris, em 2013, entre o Estado Português e a UNESCO.

Os consórcios em causa são, segundo a UTAD, “plataformas abertas de debate e partilha entre instituições de ensino superior, tendo como objetivo central contribuir para o progresso no ensino, investigação e inovação na área das Ciências Agrárias e das Engenharias, com impacto na economia e sociedade”.

A cerimónia na qual se assinaram os protocolos decorreu no dia 24 de julho, em Lisboa, na presença do ministro e do secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, assim como da ministra do Ensino Superior de Angola, do ministro da Educação Nacional e Ensino Superior da Guiné-Bissau e da ministra da Educação de Cabo Verde.

40 bolsas por ano para cientistas de língua portuguesa

Na ocasião foi também assinado um protocolo entre os referidos consórcios e a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), visando apoiar o “Ciência LP” através da atribuição de 40 bolsas de doutoramento por ano, a partir de 2019, para a formação avançada da cientistas oriundos de países de língua portuguesa, assim como de quatro contratos de investigadores doutorados, também a partir de 2019, para desenvolvimento de atividades de Investigação e Desenvolvimento (I&D) entre instituições portuguesas e de países de língua portuguesa, dividindo-se este apoios, de forma equitativa, pelos dois consórcios (CEE e CECA).