CIC prevê aumento de 10 por cento no milho e soja e quatro por cento no trigo

A produção mundial de trigo para a campanha de 2013/2014 pode atingir 680 milhões de toneladas, o que significa um aumento de quatro por cento em relação à anterior, devido, sobretudo, aos aumentos na União Europeia e nas Comunidades de Estados Independentes, em Abril.

De acordo com as últimas estimativas do Conselho Internacional de Cereais (CIC), prevê-se que a descida do consumo de trigo em 2013/2014 seja compensado por um aumento do consumo destinado à alimentação humana e usos industriais, com o total a subir um por cento ao ano até as 678 milhões de toneladas.

Enquanto na campanha de 2012/2013, a projecção para as existências no final da mesma aumentou cerca de dois milhões de toneladas até um total de 179 milhões, reflectindo um consumo de trigo inferior ao esperado, na campanha de 2013/2014 apenas espera-se uma ligeira subida das existências mundiais.

No caso do milho, o CIC prevê que a produção mundial em 2013/2014 aumente cerca de 10 por cento até 939 milhões de toneladas, ao verificar-se um crescimento tanto na superfície cultivada como nos rendimentos médios.

Em relação à campanha de 2012/2013, a colheita acelerou no hemisfério sul, com colheitas recorde no Brasil e na Argentina, mas devido à seca que se fez sentir noutros países, a produção mundial vai diminuir cerca de três por cento. As existências situam-se em níveis muito baixos no final de 2012/2013, em torno das 117 milhões de toneladas, mas podem passar por um aumento significativo em 2013/2014 até um total de 143 milhões.

As previsões para a produção mundial de soja em 2013/2014 apontam para um total de 265 milhões de toneladas, um valor que apenas variou em relação às estimativas do mês anterior, mas 11 por cento superior à campanha de 2012/2013, com 239 milhões de toneladas.

Este crescimento deve-se, essencialmente, aos aumentos nos países exportadores da América do Sul. Embora a projecção para as existências remanescentes reduziram de forma a reflectir a reduzida oferta na China, na qual espera-se ainda que registe um aumento anual de oito por cento.

Nos Estados Unidos, O USDA não avança com grandes alterações nas perspectivas para as culturas, No entanto, o atraso dos cultivos de milho e o preço relativamente atractivo da soja pode influenciar as decisões de culturas durante as próximas semanas.

Fonte: Agrodigital (via Confagri)