Chícharo: investigadores procuram até 2019 variedade mais saborosa

Até 2019 o Instituto de Tecnologia Química e Biológica (ITQB), da Universidade Nova de Lisboa, irá trabalhar numa investigação que visa encontrar uma variedade mais saborosa de chícharo.

Ao todo 150 variedades oriundas de Portugal, Espanha, Polónia, Canadá, Índia, Paquistão, Síria, Afeganistão e Irão, serão cultivadas numa exploração no município de Alvaiázere, a chamada “Capital do Chícharo”.

As variedades cultivadas serão depois avaliadas pelas suas características nutricionais e pela satisfação do consumidor sendo que será elaborado um perfil proteico e genético de cada uma.

O consórcio envolve investigadores, municípios e empresas.

O chícharo, quase desconhecido em Portugal, têm em Alvaiázere, na região centro, uma longa tradição.

É igualmente conhecido por «xíxaras» embora, na designação oficial, surja identificado como chícharo, uma leguminosa rica em proteínas, hidratos de carbono e sais minerais, cultivada desde épocas remotas como planta forrageira ou como legume comestível.

Elemento característico da região de Alvaiázere, distrito de Leiria, a cultura do chícharo é normalmente feita de forma intercalar entre oliveiras, figueiras e outras árvores de produção, aparecendo também associada ao cultivo do grão-de-bico.

Os relatos das gentes da região, segundo o município de Alvaiázere, dão conta de que antes de se consumir o chícharo deve ser demolhado e pode ser utilizado de diferentes formas, em puré, ou como acompanhamento de carnes, enchidos e peixes.

Fonte: Agronegócios