Casquilhos da igus em carregadores frontais

O novo banco de ensaios ao ar livre permite efetuar uma comparação direta entre vários casquilhos deslizantes sujeitos a cargas elevadas.

igus

No seu próprio laboratório de testes, a igus colocou agora em funcionamento um novo sistema de testes para aplicações com cargas elevadas, como acontece em máquinas agrícolas ou de construção.

Um carregador frontal é mantido em movimento durante vinte e quatro horas por dia, ao ar livre, sendo exposto a todos os elementos. Isto permite comparar diferentes tipos de casquilhos deslizantes, a fim de encontrar os melhores produtos para a respetiva aplicação com cargas muito elevadas.

A igus testa todos os seus motion plastics numa área de 2750 metros quadrados.

São realizados testes com calhas articuladas e cabos chainflex com movimentos em todas as direções, bem como testes com os diferentes tipos de casquilhos deslizantes com movimentos lineares, oscilantes e rotativos.

A igus instalou um novo banco de testes para carregadores frontais, especialmente para cargas elevadas, para simular aplicações na indústria agrícola e máquinas de construção. São efetuadas várias combinações de casquilhos e veios para serem testadas ao ar livre, sob condições realistas.

É também possível, por exemplo, uma comparação direta entre casquilhos em plástico e casquilhos metálicos.

Os testes com cargas elevadas comprovam a resistência dos casquilhos da igus

Na configuração atual, a tensão sobre os casquilhos situa-se entre 22 e 29,5 MPa, consoante o ponto de apoio (29,5 MPa correspondem aproximadamente a uma carga de 1,2 toneladas num casquilho com um diâmetro de 20 milímetros e um comprimento de 20 milímetros).

Para encontrar a combinação ideal de casquilho e veio ou o tribopolímero iglidur mais adequado, a carga a elevar pode ser aumentada de 250 kg até 500 kg.

São realizados quatro ciclos por minuto, sendo que a velocidade resultante depende do ângulo de oscilação do respetivo ponto com casquilho. Cada teste dura cerca de duas semanas. Inspeções visuais diárias garantem que o carregador frontal não fica danificado se um casquilho falhar.

Os testes neste carregador frontal podem ser seguidos ao vivo aqui.

Mesmo no topo, de um lado, é possível ver que combinações de casquilho e veio estão atualmente a ser testadas.

«No website, está também disponível uma visão geral dos resultados já obtidos nos testes. "Estes testes permitem calcular a vida útil dos produtos com precisão», explica Uwe Sund, Gestor Industrial de Tecnologia Agrícola na igus.

«Os resultados dos testes são guardados em bases de dados, com base nas quais os configuradores online da igus trabalham e estimam a vida útil dos componentes selecionados».

Os casquilhos autolubrificados iglidur dão provas do seu valor, não apenas no banco de ensaio, mas também quando utilizados em aplicações similares, como acontece nos carregadores fabricadas pela empresa F.X.S. Sauerburger.

Os casquilhos autolubrificados iglidur são usados por esta empresa nos braços de elevação da pá carregadora há mais de dez anos. Uma tensão de aprox. 21 MPa atua sobre os casquilhos autolubrificados iglidur no braço de elevação. Os casquilhos em plástico da igus aguentam esta força sem problemas.

Os casquilhos isentos de lubrificação resistem também ao vento e às intempéries.