Campanha da Batata 2018/2019

No final de 2018, Portugal importou menos 11,7% de batata-semente da Holanda.

batata

Segundo os dados publicados em janeiro pelo NAO (Organização da Batata Holandesa), Portugal até 31 de dezembro importou 7.246 toneladas de batata-semente da Holanda, o que representa um decréscimo de quase mil toneladas face ao final de 2017. Isto significa que é a segunda campanha consecutiva que Portugal apresenta redução na importação de batata-semente holandesa.

A Holanda é a principal origem da batata-semente utilizada em Portugal, podendo-se estimar que represente entre 55 a 60% da batata-semente importada. Por outro lado, historicamente as importações de batata-semente da Holanda, nas campanhas anteriores, a 31 de dezembro, representaram cerca de 45 a 50 % das importações totais de cada campanha.

Assim, verificou-se uma redução de quase 12%, o que poderá ter influência positiva sobre a colheita da batata mais precoce (primor). Nas regiões mais tardias de Portugal, em que as plantações se realizam até ao início de Junho, ainda é cedo para se fazer observações.

Contudo, ainda segundo os dados da NAO, verifica-se que no final de 2018, a Holanda exportou menos 19 % da quantidade de batata-semente a nível mundial, por comparação em igual período de 2017 e que por sua vez, já em 2017, tinha ocorrido uma redução face ao final de 2016.

Por outro lado, vários países registaram também decréscimos importantes das suas importações de batata-semente no final de 2018: Israel (- 9%), Egipto (- 30%), Marrocos (- 45%).

Estes dados são importantes atendendo a que historicamente, anos em que as áreas e consequentemente as produções são mais elevadas nestes países, representaram dificuldades de mercado para países como Portugal, porque estes países podem exportar para a Europa. No Sul da Europa, Itália regista uma diminuição de 6% e Espanha tem um aumento de 4,5% na quantidade da batata-semente importada da Holanda (passou de 16.134 para 16.857 toneladas).

m conclusão, pode-se afirmar que os dados publicados e analisados, à data actual, confirmam uma menor disponibilidade de batata-semente holandesa e por outro lado, são um indicador de que a área de batata mais precoce em Portugal, segue uma tendência de diminuição ano após ano, desde 2017, o que poderá ser favorável a nível dos preços à colheita na Primavera.

Texto: Sérgio Margaço (Membro do Conselho Técnico da Porbatata)