“Bagas de Portugal” promove seminário dedicado aos produtores de pequenos frutos

mirtilo

A Cooperativa Bagas de Portugal dinamiza este sábado, 3 de março, o seminário ”Mitigação dos efeitos do aquecimento global”, a decorrer no auditório do Vougapark, em Sever do Vouga.

Trata-se da segunda abordagem a esta temática.

A primeira aconteceu em novembro do ano passado. Desta vez, a organização acrescenta um sub-tema sobre “Novas culturas, outras variedades”, analisando o mirtilo, medronho, kumquat, tamarilho, feijoa, framboesa, castanha, maracujá, pera abacate, goji e a lima baga.

«Continuamos a fomentar a partilha de conhecimento entre todos os que estão envolvidos nas actividades agrícolas, designadamente na vertente dos pequenos frutos», afirma o presidente da Cooperativa Bagas de Portugal, Paulo Lúcio Costa Gomes.

«Na base dos trabalhos deste seminário estará sempre presente a necessidade atual de criar práticas culturais para maximizar a rentabilidade da produção», acrescenta.

A iniciativa conta com intervenções de representantes da Escola Superior Agrária de Coimbra – Instituto Politécnico de Coimbra, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, Faculdade de Ciências da Universidade de Porto, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, GreenCentere, PMNI, “FALL CREEK FARM & NURSERY, Inc” e da AGRIMINHO.

Fundada a 8 de janeiro de 2016, a Cooperativa Bagas de Portugal nasceu a partir de um grupo de produtores de pequenos frutos oriundo de vários pontos do País.

A aposta numa nova política de comercialização, assente na defesa dos interesses de quem produz, norteou este projeto que pretende imprimir um novo ritmo à fileira.