FacebookLinkedin

Agrotec

Alto Minho: apicultura, floresta e incêndios em debate

A Associação dos Apicultores do Entre Minho e Lima (APIMIL), com o apoio da Câmara de Vila Nova de Cerveira vai promover, entre 4 e 6 de Novembro de 2016, a IX Feira do Mel do Alto Minho, que decorrerá no Fórum Cultural da vila das artes.

mel

São cerca de 20 as entidades e associações que vão marcar presença durante três dias para partilhar experiências.

Mais do que uma mostra e venda de produtos, a IX Feira do Mel do Alto Minho procura envolver a região e criar compromissos em prol da sustentabilidade ambiental, bem-estar e segurança das populações, daí uma aposta mais incisiva na vertente de debate público.

«Ao longo dos anos, este evento tem confirmado que é no coletivo que reside a mais-valia dos trabalhos esta edição marca uma mudança de paradigma no sentido de procurar posições concertadas e concretizá-las, não ficando apenas no papel. Queremos passar do planeamento à ação, onde efetivamente precisamos de mais entidades para tornarmos este Alto Minho um ponto de referência, quer a nível de paisagem e floresta, quer na melhoria da qualidade de vida dos que residem e dos que nos visitam», assegura o presidente da APIMIL, Alberto Dias.

O presidente da Câmara , Fernando Nogueira, refere que «o impacto dos incêndios florestais é muito abrangente, e no caso da apicultura não é exceção. Tem-se realizado um intenso trabalho de promoção e valorização destes produtos no mercado que, com o cenário dos fogos, pode vir a perder-se, nomeadamente o produto e a sustentabilidade da atividade. Há que reagir de forma definitiva e este certame, com uma versão direcionada para o debate, apresenta-se como um grande contributo ao reunir tantas entidades por um objetivo comum».

O debate está dividido por subtemas, sendo que o primeiro dia, 4 de novembro, o período da tarde está reservado à apresentação de trabalhos e estudos de investigação associados à valorização florestal e defesa contra incêndios por entidades como a CIM Alto Minho, o ICNF, Associação para a Certificação Florestal do Minho-Lima, IPVC e Bombeiros Municipais de Viana do Castelo.

No sábado, 5 de novembro, o programa está mais vocacionado para a reflexão apícola, nomeadamente com a apresentação dos apoios futuros com representantes da DRAP-Norte, também expor a evolução apícola e valorização dos produtos com intervenções da DARN, GPP e ASAE, e ainda a dinamização de workshops relacionados com a produção apícola e suas variantes, com moderação do presidente da Comissão de Agricultura e Pescas, Joaquim Barreto.

O terceiro e último dia, domingo 6 de novembro, terá duas mesas redondas em torno da visão e estratégia da política florestal. Segue-se uma segunda etapa, onde três associações – Comvida, Unidade Local de Covas e Baldios de Riba de âncora – e a UTAD vão dar a conhecer projetos pioneiros ao nível da preservação florestal e da prevenção de incêndios para que possam servir de exemplos.

Os incêndios tem sido uma constante preocupação da APIMIL, e esta IX Feira do Mel do Alto Minho, assente nos conceitos «reflexão e ação», reforça essa posição.

Dados da CIM Alto Minho, referentes a agosto passado, indicam que a área ardida total na região foi de 25.633 hectares, correspondente a 12% do território do Alto Minho, sendo que espaço florestal afetado foi de 17%.

Fonte: Rádio Alto Minho