Alterações climáticas prejudicarão em mais de 25% produtividade dos cultivos

wg2_homeEsta semana publicou-se um relatório aprovado pelo Grupo Intergovernamental de Peritos sobre as Alterações Climáticas (IPCC) e que foi debatido em Yokohama entre 25 e 29 de março passado. O relatório afirma que os efeitos da alteração climática já se estão a produzir em todos os continentes e nos oceanos.

Concretamente, o relatório recolhe um impacto negativo para o setor agrário. Assinala que para os grandes cultivos como o trigo, arroz e milho, o aquecimento da terra vai gerar mais efeitos negativos sobre a produtividade nas zonas de clima temperado e tropical do que os benefícios que se podem produzir nas regiões frias.

Se a temperatura média aumenta em 2ºC ou mais sobre a registada em finais do século XX, a previsão do impacto para o período 2030-49 mostra aumentos de 10% da produtividade nas zonas que se podem beneficiar relativamente a reduções de mais de 25% nas zonas afetadas negativamente. Para depois de 2050, existem maior risco de impactos ainda mais severos na produtividade, que dependerão do grau de aquecimento.

Por regiões, o aumento da temperatura vai prejudicar as colheitas do sul da Europa mas pode melhorar a das áreas setentrionais.

Na América do Norte, algumas zonas vão ser afetadas pela seca e altas temperaturas. Diversas regiões da Ásia poderão ser prejudicadas por falta de chuva.

O IPCC recolhe uma série de medidas de adaptação como novas práticas agrárias, armazenamento de água e rega, entre outras.

O relatório aprovado será discutido na Conferência das Nações Unidas em Paris.

Ver aqui.