Academia incentiva agricultores do Alqueva a produzirem plantas aromáticas

Uma academia para incentivar e apoiar pequenos agricultores da zona do Alqueva a produzirem plantas aromáticas e medicinais vai «nascer» na vila de Messejana, no concelho alentejano de Aljustrel.

A criação da “Academia das Plantas Aromáticas e Medicinais de Alqueva” envolve a Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), o Centro de Estudos e Valorização dos Recursos Mediterrânicos (CEVRM) e a empresa Monte do Pardieiro.

A academia será uma «unidade de demonstração e divulgação», junto dos agricultores interessados, das várias espécies, das operações culturais, dos factores de produção e dos processos de comercialização de plantas aromáticas e medicinais, explica a EDIA, num comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a empresa, a academia pretende «dinamizar a agricultura de regadio associada à pequena propriedade e fornecer apoio e enquadramento aos projectos instalados e a instalar» na área das plantas aromáticas e medicinais.

A academia «nasce» numa altura em que se verifica «um interesse crescente» pelas plantas aromáticas e medicinais, o que se traduz no «número elevado» de candidaturas e na procura de terrenos para desenvolvimento de projectos de investimento na área, sublinha a EDIA.

Leia o resto aqui.