Abertas candidaturas para projectos de serviços básicos para a população rural no Ribatejo Interior

Entre 22 de Abril e 31 de Maio, a TAGUS irá receber pedidos de apoio de projectos de serviços básicos para a população rural a implementar em Abrantes, Constância e Sardoal. A Associação de Desenvolvimento Local tem, também, abertas as candidaturas para as outras medidas da abordagem LEADER, do ProDeR, até ao final do mês, que neste concurso apresentam novidades.

_DSC2761

100 mil euros é o valor disponível para apoiar projectos enquadrados na medida serviços básicos para a população rural (3.2.2.), do Programa Nacional de Desenvolvimento Rural (ProDeR). Será o último concurso no âmbito da actual Estratégia Local de Desenvolvimento da TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior para esta medida que tem o aviso aberto até ao final do mês de Maio.

Para a Diversificação de actividades na exploração agrícola (3.1.1), a Criação e desenvolvimento de microempresas (3.1.2.), o Desenvolvimento de actividades turísticas e de lazer (3.1.3), a Conservação e valorização do património rural (3.2.1.) as candidaturas aos fundos da abordagem LEADER terminam no dia 30 de Abril. No entanto, foi lançada a portaria nº149-2013, no passado dia 15 de Abril, que determina que para as medidas da acção Diversificação da actividade económica e criação de emprego (3.1.) passe a ser permitido a candidatura de empresários em nome individual.

Outra das novidades destes avisos de 2013 reflecte-se na medida de apoio destinada às microempresas (3.1.2.) que apenas nesta fase vai permitir que as empresas que desenvolvam actividades nas áreas da engenharia civil e da promoção imobiliária e construção de edifícios (CAE 41 e 42) possam apresentar pedidos de apoio à TAGUS.

Relembramos que o apoio para projectos de Agro-turismo; parques de campismo e caravanismo, turismo de natureza; serviços de recreação e lazer; actividades pedagógicas; produção de bens resultantes de actividades de transformação; pontos de venda directa dos bens produzidos na exploração; microempresas; criação ou desenvolvimento de produtos turísticos; turismo de habitação, turismo em espaço rural, colónias e campos de férias; centros de observação da natureza/paisagem, rotas/percursos e animação turística podem ser apoiados até 60 por cento das despesas elegíveis.

Para obter mais informações sobre as candidaturas, as medidas do Eixo 3 do ProDeR, os formulários e guião de preenchimento poderá consultar o sítio da Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior na Internet (www.tagus-ri.pt).