A realidade e os desafios para a efetivação de uma viticultura de precisão

As metas para um desenvolvimento global sustentável sublinham a importância, as vantagens e a necessidade critica de desenvolver uma Agricultura Digital e de Viticultura de Precisão (VP) que garanta uma intensificação inteligente. Para tal importa, a recolha, a organização, o processamento, a comunicação/partilha e a atuação de dados em sistemas de suporte à decisão espacial associados às técnicas diferenciais e equipamentos de débito variável (VRT), rastreabilidade e informação ao consumidor.

Por: Joaquim Mamede Alonso, Cláudio Paredes, Pedro Castro, Ivone Martins, Susana Mendes, Isabel Valin, Helena Machado, Ana Sofia Rodrigues e Manuel Marinho Cardoso

Os avanços (esperados e necessários) encontram-se condicionados pelo conhecimento, mas acima de tudo por aspetos tecnológicos, organizacionais e de capacidade humana. Estas possibilidades e as vantagens da VP implicam inovações e a vulgarização das suas técnicas e a efetiva adoção/adaptação pelos produtores e agentes do sector.

Neste artigo exploram-se os desafios de organização e colaboração (multidisciplinar e inter-organizacional) numa clara relação entre os avanços científicos, o desenvolvimento tecnológico, a capacitação, e a adoção da VP para a inovação dos territórios e unidades rurais.

Palavras-chave: agricultura, rural, inovação, sistemas de produção, sistemas de produção.

Introdução

A promoção da qualidade de vida de uma população mundial crescente e mais exigente, incluindo na garantia dos direitos humanos à alimentação bem como, a conservação ambiental e da biodiversidade requerem uma intensificação inteligente da produção agroalimentar. A inovação tecnológica e organizacional associadas ao avanço e digitalização do conhecimento das atividades de produção, transformação, distribuição e consumo alimentar podem contribuir para a sustentabilidade global e em particular, dos espaços rurais.

A consciência da multidimensionalidade que limita a efetivação das vantagens reconhecidas à AP e VP implica discutir e realizar propostas para uma maior adoção, otimizar os meios disponíveis e necessários bem como, maximizar os respetivos impactes esperados da Agricultura de Precisão no quadro de uma intensificação sustentável e inteligente.

As promessas da agricultura de precisão mostram-se interessantes e atrativas. No entanto deve-se continuar a avançar na oferta de soluções e principalmente em ultrapassar as barreiras que garantem a maturidade, a funcionalidade e utilidade da Viticultura de Precisão.

Uma análise sistémica e atenta mostra que a efetivação da adoção da agricultura de precisão e por outro lado, a melhoria dos impactes esperados indicam importantes desafios à inovação e adoção de agricultura de precisão ligados com:

• os avanços das políticas e práticas de I&D+i;

• os desafios de desenvolvimento e a aplicação tecnológica e técnica;

• os esforços e avanços necessários no ensino, formação e treino profissional;

• as necessidades críticas da organizaçãoe capacitação dos agentes para o desenvolvimento da Viticultura de Precisão.

Neste quadro de definição e implementação de políticas e práticas de I&D+i considera-se ainda a relevância e a natureza critica do ensino e da formação bem como, da organização/capacitação dos agentes para o desenvolvimento da Viticultura de Precisão.

(Continua)

Nota: Este artigo foi publicado na Agrotec nº31. Para aceder à versão integral, solicite a nossa edição impressa, ou através do site ou dos seguintes endereços:

Telefone 225899620

E-mail: marketing@agropress.pt