Organizações agrícolas condenam decisao da Universidade de Coimbra em banir a carne de vaca

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) foi das primeiras a manifestar-se perante a decisão do orgão universitário, que eliminou a oferta de carne de vaca em todas as suas 14 cantinas. A AJAP, a APROLEP e a CONFAGRI também já apresentaram as suas críticas. 

No comunicado emitido pela CAP, é revelado que existe uma "profunda perplexidade relativamente à notícia".

"A invocada “emergência climática”, desígnio que a todos convoca, não deve – não pode – servir de pretexto para a tomada de decisões infundadas, baseadas em alarmismos incompreensíveis. Esta decisão, tomada num contexto universitário, espaço de liberdade e de conhecimento, ainda causa maior perplexidade", é possível ler-se no documento. 

A confederação vai mais longe e afirma tratar-se de "uma limitação à sua liberdade de escolha e contribui para confundir os portugueses, porque é alarmista e assenta em pressupostos infundados". A organização condena assim a decisão, apelando ainda a estudantes, professores e funcionários para agirem perante o sucedido. 

A AJAP (Associação dos Jovens Agricultores de Portugal) também condenou as ações da Universidade em comunicado.

Já a CONFAGRI (Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal) afirmou "repudiar o radicalismo do Reitor da Universidade de Coimbra", realçando que "matar o mundo rural não é a solução". 

“As necessárias mudanças de comportamentos face às alterações climatéricas têm de ser feitas com responsabilidade e consciência social, não de forma demagógica e radical. A descarbonização, sendo meta a perseguir até 2050, deve assentar no que se refere à produção bovina, em bases científicas e não em tiradas populistas sem qualquer suporte científico”, refere Manuel dos Santos Gomes, Presidente da CONFAGRI, em comunicado. 

A APROLEP (Associação dos Produtores de Leite de Portugal) decidiu também "tornar público um veemente protesto perante o anúncio da proibição de carne de vaca nas cantinas da Universidade de Coimbra a partir de janeiro de 2020 e manifestar solidariedade a todos os criadores de bovinos em Portugal".

As associações demonstram-se assim contra a decisão, condenando-a e afirmando que irão lutar contra a mesma no futuro próximo.