INE prevê subida do preço do azeite na ordem dos 30%

O Instituto Nacional de Estatística (INE) prevê um decréscimo na produção de azeite na ordem dos 9,3% e um aumento do preço do azeite de 29,6%.

Segundo o Instituto, o cenário não é uniforme. Na campanha atual, os olivais regados atingiram a maturação da maioria dos frutos, perspetivando-se um aumento de 15% na produção.

Pelo contrário, “nos olivais de sequeiro, que abrangem uma área maior, a escassa precipitação de Setembro e Outubro, aliada às elevadas temperaturas, conduziu a uma produtividade inferior (queda precoce ou engelhamento dos frutos) e afectou negativamente o teor em gordura das azeitonas”.

Segundo o INE, «a redução de oferta interna, aliada ao aumento de procura internacional (em consequência da redução da oferta dos países produtores e aumento de consumo a nível mundial) geraram um aumento de preços deste produto no ano de 2017».