Tabaqueiras apostam na biotecnologia para eliminar toxinas nocivas do tabaco

composicion-del-tabacoAs empresas tabaqueiras focaram-se na biotecnologia moderna para conseguir fazer com que o tabaco seja menos prejudicial para os consumidores. O Instituto Nacional Britânico de Botânica Agrícola (NIAB) está a levar a cabo estudos sobre plantas de tabaco modificadas geneticamente para eliminar ou diminuir significativamente as toxinas nocivas características da planta.

Com isto, poderá conseguir-se que os fumadores estejam menos expostos aos perigos para a saúde provenientes do tabaco.

“Uma vez desenvolvidas e que fique provado o seu êxito, acreditamos que o danos nas pessoas devido ao tabaco será drasticamente reduzido”, disse Claire Pumfey, Gerente de Marketing e Operações do NIAB. Nos últimos anos o tabaco está a ser objeto de estudo por parte da biotecnologia.

Há umas semanas foi publicado um estudo com plantaqs de tabaco modificas genéticamente, onde a partir das mesmas se pode producir entre 20 e 40% mais de etanol, o que aumenta a viabilidade desta matéria prima para produzir biocombustíveis.

Fonte: Fundação Antema (via agrodigital.com)