Em setembro celebra-se o mundo agrícola na Agroglobal 2016

Inovação, tecnologia e conhecimento voltam a ser os temas da Agroglobal - Feira das Grandes Culturas. O mundo agrícola reúne-se de novo em Valada do Ribatejo, de 7 a 9 de setembro de 2016, para conhecer o que de mais moderno se pratica na agricultura portuguesa.

A Agroglobal reúne cerca de 250 empresas expositoras e demonstrações em contexto real da mais avançada tecnologia ao serviço do setor agrícola.

O papel da Agricultura na economia portuguesa é debatido num ciclo de colóquios, ao longo dos três dias da feira.

«A agricultura portuguesa vive um momento muito positivo, com investimento e novos projetos a nascer pelo país, dinamismo este que se reflete na 5ª edição da Agroblobal, uma feira a céu aberto, em plena lezíria do Tejo, uma das regiões agrícolas mais dinâmicas do país», adianta a organização.

Esta feira bienal tem vindo a afirmar-se, desde 2009, como certame profissionalizado, de dimensão tecnológica e científica à escala real, onde se exibe e partilha o que de mais moderno se pratica e utiliza na agricultura portuguesa.

«O slogan da AgroGlobal "nós semeamos" reflete o modelo de produção em que acreditamos, e que serve de base a um setor competitivo, com capacidade de resistir mesmo em situações adversas», afirma Joaquim Pedro Torres, organizador da Agroglobal, e agricultor de referência na cultura do milho, explicando que o número de expositores continua a crescer a cada edição, «um sinal muito importante de coesão da fileira e aspeto decisivo para viabilizar e potenciar alguns sistemas produtivos».

As novidades da 5ª Agroglobal

Fruto da adesão das empresas expositoras, o espaço para stands foi alargado e reconfigurado de modo a reduzir a densidade de "construção", para que os horizontes visuais se alarguem e a sensação de campo esteja sempre presente.

Outras novidades desta edição são: a instalação de uma área de amendoal, acompanhando a tendência de plantação de pomares de frutos secos no Alentejo; o aumento significativo da área de tomate para indústria, para dar dimensão à cultura estrela do Ribatejo; o maior protagonismo dado à cultura do girassol, em linha com o aumento real da área semeada no Alentejo, e a reintrodução da cultura da beterraba. Tal como nas edições anteriores, o milho, a batata, o olival, as forragens e a floresta continuarão a marcar presença nos campos da Agroglobal, reafirmando o potencial destas culturas.

Estão também previstos mais ensaios no campo – fertilização, sementes, agroquímicos, rega ; o aumento das áreas de trabalho de máquinas, pistas para as diversas marcas de tratores e alfaias, zonas específicas para pulverização em pomares, vinha e culturas anuais.

A colheita e subsequente reinstalação das culturas, mostrará a sequência de operações culturais possíveis e aconselháveis para cada situação.

«A evolução dos fatores de produção, equipamento e conhecimento é decisiva para não perdermos a batalha da competitividade. Toda e qualquer inovação não nos pode passar ao lado. O aperfeiçoamento das tecnologias e equipamentos de produção, com vista ao aumento do rigor na utilização dos fatores de produção, permite melhorar a eficiência das operações culturais e o conhecimento dos campos, otimizar a utilização da água, dos fertilizantes e das sementes. Na Agroglobal queremos partilhar com país o melhor que se faz na nossa agricultura», remata Joaquim Pedro Torres. 

Fonte: Agronegócios