Confagri debate o futuro da Pequena Agricultura Familiar

A CONFAGRI promove, a 19 de janeiro, um seminário sobre o Estatuto da Pequena Agricultura Familiar, que se encontra em consulta pública.

Reconhecendo a vital importância desta temática para a promoção do desenvolvimento rural e coesão territorial, a CONFAGRI vem ao encontro das solicitações de várias organizações agrícolas da região norte, nomeadamente de muitas Cooperativas Agrícolas, onde a pequena agricultura familiar assume uma expressão económica e social muito relevante.

«É urgente que se encontrem respostas e soluções para superar os inúmeros desafios que os pequenos agricultores enfrentam sob pena de sacrificarmos o principal suporte de vida de alguns dos principais espaços rurais do nosso país», reforça Francisco Silva, secretário-geral da CONFAGRI.

O encontro terá lugar pelas 15h00 no Espaço AGROS, em Argivai (Póvoa do Varzim) e vai ser conduzido por Arlindo Cunha, Professor da Universidade Católica do Porto e Ex-Ministro da Agricultura e pela advogada Ana Rosado, que vai abordar a questão do Novo Código da Contratação Pública e as exigências que dele decorrem para as organizações agrícolas.

A dimensão da pequena agricultura familiar no panorama nacional

Em Portugal cerca de 284.000 explorações agrícolas classificam-se como familiares, o que representa 93% do total das explorações, 49% da superfície agrícola utilizada e mais de 80% do trabalho agrícola.

As atividades da agricultura, produção animal, floresta, caça, e serviços que estão directamente relacionados com a pequena agricultura familiar, são determinantes em grande parte do nosso território, assumindo relevância na produção, no emprego, na preservação do ambiente e da biodiversidade, bem como garantindo uma presença em muitas áreas do interior.

Torna-se assim imperioso estabelecer políticas que reconheçam e potenciem a contribuição da pequena agricultura familiar no desenvolvimento rural.