Bruxelas abre inquérito à compra da Monsanto pela Bayer

A Comissão Europeia anunciou a abertura de uma investigação aprofundada sobre a compra da norte-americana Monsanto, produtora de sementes geneticamente modificadas (OGM), pelo grupo farmacêutico e agroquímico alemão Bayer.

bayer

O Executivo europeu refere «preocupações preliminares» relacionadas com a possibilidade de a aquisição «poder reduzir a concorrência em diferentes mercados, levando a preços mais altos, menos qualidade, menos escolha e menos inovação».

A investigação de mercado inicial identificou preocupações nomeadamente nas áreas dos pesticidas e das sementes.

O projeto de aquisição da Monsanto pela Bayer, uma operação no valor de 66 mil milhões de dólares (cerca de 56 mil milhões de euros), anunciada em setembro de 2016, «levará à criação da mais importante empresa integrada mundial nos setores dos pesticidas e das sementes», realça a Comissão.

Por outro lado, acrescenta, a operação iria ocorrer em áreas de atividade «já concentradas a nível mundial».

A Comissão foi notificada sobre esta aquisição em 30 de junho, e tem agora 90 dias úteis, até 8 janeiro de 2018, para tomar uma decisão.

A 31 de julho, a Bayer e a Monsanto entregaram declarações direcionadas para as preocupações listadas pela Comissão, no entanto, esta considera aquelas informações insuficientes para clarificar as suas dúvidas.

Desde o início do ano, a Comissão Europeia já autorizou duas mega fusões no setor agroquímico, sob condições.

No final de março, Bruxelas autorizou a fusão dos grupos norte-americanos Dow e Dupont, que vai dar origem à DowDuPont, um gigante que vale 130 mil milhões de dólares (110,6 mil milhões de euros) no mercado bolsista.

Dez dias depois, foi a decisão sobre a compra da suíça Syngenta pelo grupo chinês ChemChina por 43 mil milhões de dólares (40 mil milhões de euros, na altura, ou 36,5 mil milhões de euros atualmente), a maior compra de sempre lançada por um grupo da China no estrangeiro.

As novas empresas comprometeram-se junto da União Europeia a vender algumas das suas atividades de modo a garantir a concorrência no mercado europeu.

No ano passado, a Bayer teve um lucro de 4,5 mil milhões de euros e um volume de negócios de 46,8 mil milhões de euros.

A Monsanto apresentou no exercício 2015/2016 um resultado líquido de 1,3 mil milhões de dólares (850 milhões de euros), para um volume de negócios de 13,5 mil milhões de dólares (11,5 mil milhões de euros).

Fonte: Lusa