UE: Previsto aumento da produção de suínos em 2015

porcos-globo-ruralEstima-se que a produção de suíno na UE aumente durante 2015, ainda que sem chegar aos picos de produção de 2007 e 2001. Este aumento da produção será consequência de um aumento dos abates, que poderão chegar a 249,5 milhões de cabeças na UE-28, o que supõe mais 500.000 cabeças do que em 2014. A produção esperada em 2015 na UE-28 poderá chegar a 22,37 Mt, 65.000 tn mais do que no ano anterior, segundo o relatório da Rede de Informação Global Agrária do Departamento de Agricultura dos EUA.

Espera-se que a produção aumente essencialmente em Espanha e no Reino Unido. Os baixos preços da carne suína farão com que parte da produção espanhola se venda no mercado da Europa Central, onde a produção doméstica está em declínio.

A palicação da diretiva de bem estar dos suínos em 2013 originou o abate nas explorações que não cumpriam a norma, o que levou a uma menor oferta de leitões e a uma alteração na produção, do este para o oeste da Europa e a um aumento da eficência no setor.

A Polónia foi um dos países do leste da UE onde mais se reduziu a produção de leitões, caindo 800.000 cabeças em dois anos. Para além da Polónia, estima-se uma redução da produção em Itália (600.000) e França (500.000). Porém, prevê-se também um aumento do número de leitões em 2 milhões de cabeças, impulsionado pela capacidade produtiva da Dinamarca, Alemanha, Reino Unido, Espanha e Benelux.

A proibição de exportar para o mercado russo, estabelecida por motivos sanitários no passado mês de fevereiro, fez com que os operadores comunitários procurassem novos mercados. Na primeira metade de 2014, as vendas comunitárias de suínos aumentaram em mais de 30 destinos, especialmente Japão, Coreia do Sul, Filipinas, EUA, Taiwan. Por outro lado, este aumento não conseguiu compensar as descidas registadas na Rússia, Ucrânia e Bielorrússia.

Ler aqui.