UE: Empresas de maquinaria agrícola exigem política mais virada à inovação

Parlamento-EuropeuUma aliança de grupos que representam os interesses das empresas agrícolas e alimentares europeias estão a pedir decisões políticas mais profundas e assertivas, que fomentem a inovação e a criação de emprego, que garantam que a cadeia agroalimentar da UE chegue a ser mais produtiva e eficiente em recursos.

O grupo de 11 associações a nível europeu apresentaram a sua visão conjunta para o “Desbloqueio do potencial das indústrias agrícola e alimentar da UE” durante o encontro de Ministros da Agricultura realizado em Atenas dia 6 de maio. A aliança inclui numerosas indústrias de bens agrícolas tais como fornecedores de maquinaria, sementes, fertilizantes, proteção de cultivos, sanidade animal, produtos de alimentação e baseados em biotecnologia, assim como o comércio agrícola e, consequentemente, agricultores da EU e do setor europeu de alimentação e bebidas. Juntas, estas indústrias contam com aproximadamente 30 milhões de postos de trabalho e 3,5% do valor acrescentado bruto da EU.

Na sua Visão Conjunta, os membros sublinharam a importância de proporcionar um abastecimento estável e seguro de alimentos não apenas aos cidadãos da EU mas também aos restantes, fazendo-o de forma sustentável e respeitando o meio ambiente.

Ao mesmo tempo, a Cadeia Agroalimentar Europeia assinala o peso económico dos setores envolvidos e a sua importante relevância na consecução dos objetivos gerais da política europeia tais como um maior crescimento no emprego e economia. Segundo os membros do grupo, até agora, a inovação na agroalimentar foi demasiado pequena e muito pouco fomentada, sendo até obstaculizada pelos decisores europeus.

Com vista às próximas eleições para o Parlamento Europeu em finais de maio e da tomada de posse da Nova Comissão Europeia no final do ano, as associações agroalimentares instam ambas as instituições a trabalhar conjuntamente para dotar de um forte estimulo à inovação nos seus setores.

Ler aqui.