Strawberry+: qualidade do morango desde o campo até à indústria

morango

Instituições Participantes: Frulact S.A.

(Promotor); Faculdade de Ciências da Universidade do Porto - FCUP

(Coordenação Científica); CBQF/ESB – Universidade Católica Portuguesa

Resumo

O morango (Fragaria ananassa Duch) é o fruto preferencial da indústria de preparados de fruta, representando mais de 40% da quantidade total dos frutos adquiridos pela Frulact S.A. A adequabilidade e qualidade do morango para indústria deverá ser trabalhada desde o campo até ao produto final.

A qualidade intrínseca da matéria-prima, a redução da sua contaminação durante o período de produção e pós-colheita, assim como a aposta em produtos inovadores são fatores chave para a competitividade desta indústria, que visa corresponder às expectativas de um consumidor cada vez mais exigente.

Nesse sentido surgiu o projecto ‘Strawberry+’ que tem como objetivo geral aumentar a aptidão do morango para uma transformação tecnológica com menos aditivos (i.e. produção de morango industrial ‘premium’ com maior firmeza, teor de sólidos solúveis, cor, menor carga microbiana e menos resíduos químicos) e reduzir o seu desperdício pós-colheita.

Como objetivos específicos pretende-se: (1) testar novas abordagens para otimizar a qualidade e produtividade do morango, com principal enfoque na fertilização e aplicação de reguladores de crescimento à base de extratos de algas; (2) fazer uma análise comparativa do sistema de produção hidropónico vs. solo - ao nível da produtividade, qualidade intrínseca, qualidade sensorial e carga microbiológica/incidência de doenças; (3) otimizar o rendimento e eficácia das operações de primeira transformação (corte e desinfeção da fruta); (4) testar a manutenção da integridade de formas inovadoras de fruta para desenvolvimento de novos produtos.

Por forma a fazer uma comparação fidedigna do efeito do sistema de produção solo vs. ‘semi-hidroponia’ (i.e. substrato) nos parâmetros acima indicados e avaliar com rigor os efeitos da aplicação de diferentes doses, concentrações e modos de aplicação de um bioestimulante comercial à base de extratos de algas, foi instalado um ensaio em Outubro 2017 numa estufa experimental com quatro cultivares de morango.

Irão ser avaliados os seguintes parâmetros: produtividade por planta, número de frutos, tamanho médio dos frutos, qualidade físico-química (brix, acidez titulável, firmeza, cor), qualidade nutricional (atividade antioxidante, compostos fenólicos), qualidade sensorial (painel de provadores) e carga microbiológica/incidência de doenças.

No que respeita os objetivos 3 e 4 acima indicados, existem equipamentos disponíveis no mercado que permitem a remoção automática do cálice do morango, mas ainda sem grande rentabilidade relativamente ao método manual.

Foram ainda testados cortes de morango em formas inovadoras, cujos protótipos estão a ser atualmente disponibilizados a clientes para apreciação dos mesmos, antes do seu potencial lançamento no mercado.

Nota: Este artigo foi publicado na edição n.º 26 da Revista Agrotec, no âmbito do dossier Bioestimulantes.

Para aceder à versão integral, solicite a nossa edição impressa.

Contacte-nos através dos seguintes endereços:

Telefone 225899620

E-mail: marketing@agropress.pt