Situação fitossanitária leva Rússia a suspender importação de frutas chinesas

 A Rússia anunciou a suspensão das importações de frutas da China a partir de 10 de agosto, devido ao agravamento da situação fitossanitária naquele país.

Texto: Ana Catarina Monteiro

«Esta decisão foi tomada depois que repetidos casos de produtos vegetais chineses chegaram ao país com organismos de quarentena contaminados», afirmou o regulador russo Rosseljoznadzor, citado pelo site agrodiario.com.

Até agora, em 2019, foram detetados 48 casos de produtos contaminados, principalmente frutas de caroço e caroços.

O regulador disse que em cada uma dessas ocasiões ele propôs às autoridades chinesas a realização de inspeções em locais de produção, armazenamento e embalagem de frutas. No entanto, as sugestões não foram levadas a cabo.

Segundo o mesmo site, a Rússia importa da China 900 mil toneladas de produtos agrícolas por ano, incluindo mais de 180 mil toneladas de frutas cítricas e mais de 190 mil toneladas de maçãs, peras, ameixas, damascos e outras frutas afetadas pela proibição.

O regulador russo mostra-se disposto a estudar uma solução para retormar o comércio de frutícolas chinesas, caso o país proceda a inspeções.